Novos atletas brasileiros no UFC prometem

artigo ufc #

Novos atletas surgem para acirrar competição no UFC (by Pixabay/License)

Nomes como Vitor Belfort, José Aldo e Anderson “Spider” Silva já são bem conhecidos pelos brasileiros fãs do Ultimate Fighting Championship (UFC), mas nos últimos anos diversas novas estrelas promissoras surgiram.

Em 2019, a modalidade conta com muito mais: há atletas de renome em todas as regiões do país e aqui vamos conhecer um pouco mais sobre duas das principais estrelas, uma do masculino e uma do feminino.

Ricardo Ramos prometeu ser uma lenda no esporte (by UFC Player Database)

Ricardo “Carcacinha” Ramos

Descoberto há poucos anos pelo lendário empreendedor Dana White no programa de TV “Lookin’ For a Fight”, o lutador Ricardo “Carcacinha” Ramos veio do interior de São Paulo (Campinas) e quer conquistar o mundo.

Quando perguntado sobre uma potencial pressão que o apoio de White poderia colocar na sua carreira, o atleta respondeu que só tinha a agradecer pela oportunidade.

“Fico feliz, é diferente de muitos atletas. Fui descoberto há pouco tempo, entrar assim é uma chance única, e aconteceu bem antes do que eu imaginava. Significa uma confirmação de que meu trabalho está sendo bem feito e estou no caminho mais que certo. Sou o brasileiro mais jovem no UFC, mas não me sinto pressionado. Estou focado e treinado, dando meu melhor a cada dia”, afirmou durante uma de suas primeiras entrevistas.

Amplamente considerado uma das maiores promessas da nova geração do UFC nacional, o atleta afirmou que todas as suas energias estavam focadas em seu desenvolvimento no UFC.

“Não é só dar porrada. Até fiz (acompanhamento com fonoaudiólogo) para melhorar nas entrevistas. Tudo é importante, e quanto mais completo a gente for, melhor. Eu quero seguir isso como carreira para a vida toda, e seguir dentro da luta em outras áreas depois. Tenho que estar sempre em evolução. Na hora em que eu não tiver mais corpo (para lutar), terei como me sustentar. Penso no meu futuro”, completou.

Carcacinha atua na categoria peso-galo e conta com um ótimo recorde de 8 vitórias e apenas uma derrota, mas o atleta já afirmou que pretende combater na categoria peso-pena nos próximos anos. “Meu objetivo é ser campeão do peso-galo agora. Mas quando subir para peso-pena, meu objetivo será ser campeão, também. Estou aqui para ser o número um e sempre disputar com os melhores. Eu quero ser campeão do peso-galo e depois do peso-pena, também. Mas agora o objetivo é ser campeão dos galos” disse ele em outra entrevista.

Com o apoio de um dos maiores nomes da história do UFC e um ótimo planejamento de carreira, Ricardo Ramos tem tudo para conquistar o cinturão em ambas as divisões e se tornar uma lenda do esporte.

Jéssica já se consagrou campeã do cinturão, mas ainda tem muitas lutas pela frente (by UFC Player Database/Divulgação)

Jéssica “Bate-Estaca” Andrade

Jéssica Andrade estreou no UFC em 2011 e logo demonstrou seu potencial ao ganhar oito das suas primeiras dez lutas no Brasil. A atleta ganhou o apelido “Bate-Estaca” devido à boa execução desse tradicional golpe, que sempre levanta a torcida.

Após uma série brilhante de vitórias ao longo dos últimos anos, Jéssica conseguiu aplicar seu golpe característico aos 2 minutos e 58 segundos do segundo round contra a americana Rose Namajunas para garantir o cinturão peso-palha no seu último evento.

Após a conquista do título, Jéssica afirmou que está focada em manter o posto de campeã e trazer mais lutadoras da sua academia para o UFC. “Meu sonho agora é só ajudar as lutadoras da minha academia a entrarem no UFC. Lá tem muita lutadora que poderia estar lutando aqui”, afirmou a nova campeã.

Bate-Estaca ainda disse que pretendia dar uma chance de revanche para Namajunas, mas a atleta já disse que não estaria interessada e pretende se aposentar. Com isso, a próxima luta da brasileira deve ser contra Joanna Jedrzejczyk.

Jedrzejczyk derrotou Jéssica em 2017 e realizou uma postagem em uma rede social para provocar a brasileira logo após a conquista do título. Durante uma entrevista coletiva, Bate-Estaca afirmou que já esperava isso e que está preparada para defender seu cinturão.

“É a cara da Joanna fazer este tipo de coisa. Eu já sabia que ela ia fazer isso. Caso ela me enfrente, ela encontrará uma lutadora diferente da que ela venceu. Vou me dedicar muito na minha preparação de kickboxing para poder enfrentá-la”, disse a campeã entre aplausos da coletiva.

Futuro da modalidade promete

Após um período sem muitas conquistas no UFC, o Brasil finalmente conta com novos atletas, tanto no masculino quanto no feminino, que podem proporcionar muitos grandes títulos no futuro. Ocorreu uma entressafra após o fim do “reinado” de grandes nomes como Anderson Silva, mas fato é que uma excelente nova geração vem por aí.