‘Povo tem medo do Moro’ (menos o Queiroz e milicianos do Rio)

povo moro mara vice #

Deputada federal Mara Rocha (PSDB) e o vice-governador Rocha, seu irmão, fazem live para justificar voto (equivocado) que pretendia mudar o controle do Coaf do ministério da Economia para o ministério da Justiça.

Em tempo: Quem quer mudar o Coaf de ministério é Moro e não o contrário…ele que quer tirar o Conselho de Controle de Atividades  Financeiras do ministério da Fazenda para o da Justiça….em todos os países esse Conselho fica subordinado à Fazenda/Economia….Moro, MP ou qualquer órgão da justiça do Brasil, a qualquer tempo, pode pedir informação sobre transações suspeitas à Fazenda/Coaf.

Em tempo 2: ‘O povo tem medo do Moro’, diz a deputada Mara…que povo? O Queiroz não tem um pingo de medo…aliás, o Moro não o procura…ninguém encontra o Queiroz…o mesmo com os milicianos do Rio de Janeiro.

Em tempo 3: Moro, deputada Mara, quando juiz justiceiro causou estragos à economia brasileira levando dificuldade a empresas de engenharia importantes do país…o Brasil é o único país do mundo que ‘combate corrupção’ (entre aspas mesmo) fechando empresas e desempregando pessoas aos milhares…

Em tempo 4: Todas as informações financeiras colhidas e utilizadas por Moro, MP e a justiça, em geral, foram via Coaf…uma prova de que o ministério da Fazenda não impõe dificuldade em conceder informações de suspeitas transações financeiras. Então, pra quê mudar o Coaf para as mãos de Moro?

Em tempo 5: ‘Tem bandido em todo partido’…frase do vice-governador durante a live e é verdade…ele se refere a Aécio Neves (PSDB), aquele que Moro, ex-juiz, nunca moveu uma palha para levá-lo à justiça mesmo com evidências…porém, condenou Lula por fato indeterminado.

Em tempo 6: Mara cita o ex-prefake Dória para justificar expulsão de Aécio do PSDB proposta pelo vice-governador do Acre…deputada, o Dória é do mesmo time de Aécio Neves…clique aqui e veja sobre a Panama Papers

Em tempo 7: Parece até que a Mara e o vice-governador leem oestadoacre…quem dera…

J R Braña B.