Policiais e Bombeiros vão ser contemplados na ‘Cidade do Povo’

O governador Tião Viana e o secretário adjunto de Obras Públicas e Infraestrutura Urbana (Seop), Leonardo Neder, apresentaram na segunda-feira, 19, o projeto da Cidade do Povo para funcionários do eixo da segurança pública. Tião Viana anunciou para policiais civis, militares e bombeiros que o projeto que prevê a construção de 10 mil unidades habitacionais terá 2.600 moradias destinadas aos trabalhadores da área de segurança pública que tenham renda entre três a 10 salários mínimos.

cidadedopovo“A grande vantagem deessas moradias é serem dentro da Cidade do Povo, que se trata de uma cidade planejada, onde vão morar entorno de 60 mil pessoas. Teremos da creche às escolas de ensino fundamental, médio e profissionalizantes; acesso a serviços de comércio e outros serviços do Estado. É um projeto inovador que está servindo de referência para outros estados”, comentou o governador.

De acordo com o governador, a proposta para que o Estado ofertasse casas aos militares surgiu diante de uma demanda apresentada pelo comandante da PM, coronel Anastácio. Na ocasião o comandante da PM revelou que 1.119 policiais militares manifestavam interesse em adquirir sua moradia própria por meio do programa habitacional Cidade do Povo.

“Eu só poderia trazer essa informação de maneira formal que conseguimos tornar isso possível, quando eu tivesse autorização do governo federal e foi o que eu fiz. Na última sexta-feira, 16, estive no Ministério do Planejamento e nós já temos garantidas 3.408 casas para trabalhadores de baixa renda e 2.600 casas para servidores da área de segurança”, afirmou Tião Viana.

Diante da sinalização da construção das casas no Ministério do Planejamento o governador solicitou que as secretarias de Polícia Civil e o comando do Corpo de Bombeiros iniciassem o levantamento de suas demandas e enviem relatório informando o número de funcionários de suas pastas que manifestam interesse em ser inseridos no programa habitacional.

“Outra vantagem é que este projeto seja aberto para outras categorias como Saúde e Educação que vão estar associados a esse programa. É uma oportunidade bem especial na vida de cada trabalhador que está aqui. Não é um sistema de financiamento qualquer. Neste programa há um esforço de gigante do governo do Estado”, pontua Tião Viana.