Página20: Jorge Viana diz que Sena Madureira pode ser polo de economia florestal

Por Elson Martins – Quarta-feira, 18, o senador Jorge Viana (PT) foi à Sena Madureira para uma “boa conversa” com o prefeito Mano Rufino (sem partido), a quem vem ajudando com sua experiência de ex-prefeito de Rio Branco, ex-governador do Estado e agora vice-presidente do Senado. O próprio Rufino o convidou para discutir as dificuldades financeiras do município, por isso, Jorge levou em sua companhia o ex-secretário da Fazenda Mâncio Lima Neto, experiente no assunto. A agenda do senador na histórica cidade incluiu visitas a duas pessoas pioneiras e amigas, o Padre Paolino e a Dona Jandira e às obras de recuperação da avenida Avelino Chaves. Viana concedeu entrevista à Rádio Aldeia FM e lançou a revista Acreanidade, referente às atividades de seu mandato em 2013.

A agenda começou num rápido almoço com o prefeito e seu secretário de finanças num restaurante na entrada da cidade. De lá, o senador foi à Rádio Aldeia para entrevista ao radialista Rivaldo Severo, o Boim, durante a qual afirmou que Sena Madureira pode se tornar “polo central da economia florestal”. Jorge respondeu a perguntas sobre o CAR (Cadastro Ambiental Rural) e o novo Código Florestal declarando que “ninguém planta e produz sem a natureza”. Sobre o CAR, disse que é bom para os agricultores, e por uma decisão do governador Tião Viana, o Acre é o primeiro Estado brasileiro a colocá-lo em prática.

Engenheiro florestal de formação, Jorge Viana defende a exploração sustentável da floresta como propôs o líder seringueiro Chico Mendes, e rechaça propostas do agronegócio que excluem a participação dos extrativistas com ameaças ao meio ambiente. Como relator do novo código florestal no Senado, fez o possível para salvar as normas que garantam a preservação do ambiente sem impedir a exploração sustentável. “Qualquer desmatamento feito de 2008 para cá, vai ter que acertar contas com a justiça” disse, alertando sobre o que prevalece no novo código: “Temos que sair dessa lógica burra, colocada por uma Lei rígida que ninguém cumpre. Agora tem que cumprir!” Jorge fez questão de ressaltar que, resolvidas as questões ambientais, Sena pode se transformar em importante polo florestal para o Acre e para Amazônia.

Sobre as agressões recentes dirigidas à Presidente Dilma Rousseff durante a Copa do Mundo, também indagadas na entrevista, o senador foi categórico: “Quem está xingando a Dilma é uma elite, são pessoas que não gostam do PT, da Dilma, nem do que ela faz pelo bem dos brasileiros mais pobres. Da forma como agrediu a Dilma, a elite agrediu a mulher, a mãe, a vó e a Presidente do Brasil. Uma vergonha! Essa é a parte mais negativa da politica!”

Apoio ao prefeito

A exemplo de outros 16 prefeitos do interior, Mano Rufino herdou problemas administrativos de gestões passadas, notadamente, com folha de pagamento que excede o valor permitido por lei. Sena Madureira vem arrecadando menos do que precisa para quitar a folha, manter o bom funcionamento de serviços públicos essenciais e executar obras que se impõem com o crescimento urbano.

O prefeito de Sena Madureira é um jovem idealista e dinâmico que conta com a confiança de grande parte da população, mas os problemas crescem enquanto a receita diminui. Nessa situação, a prefeitura pode não ter como aprovar suas contas junto ao Tribunal de Contas do Estado. Assim, Rufino corre o risco de ser penalizado, juntamente com sua equipe de finanças, por descumprir normas previstas em lei.

Convidado pelo senador, o economista Mâncio Lima Neto – ex-secretário da Fazenda nos governos de Jorge Viana, Binho Marques e do atual governador, Tião Viana –, aceitou a missão de orientar a equipe de finanças de Sena Madureira. Após reunir com os técnicos, admitiu que a situação é complicada e marcou uma reunião em Rio Branco, na segunda-feira, para buscar uma possível solução. Segundo Mâncio Lima, uma alternativa é provar com dados confiáveis que a crise foi originada em gestões passadas. Mesmo assim, o atual prefeito poderá ter que adotar medida drástica, como demitir funcionários ou reduzir salários para se ajustar à lei que disciplina a aplicação de recursos públicos. Quanto a arrecadação, não há previsão, neste e no próximo ano, de melhoria no repasse federal do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Jorge Viana informou que na condição de governador (1999-2006) fez investimentos expressivos em Sena. Atualmente, em parceria com o irmão, governador Tião Viana, se empenha em levantar recursos para recuperação das avenidas Brasil e Avelino Chaves, esta última, uma histórica via que nos tempos áureos da borracha (inicio do século passado) teve até bonde sobre trilhos de ferro, porém puxado a cavalos. Recentemente, o governador liberou R$ 1,2 milhão para viabilizar combustível para a frota municipal de veículos.

Acreanidade

Durante o lançamento da revista Acreanidade, no CEDUP (Centro de Educação Permanente) Jorge Viana anunciou que vai repassar mais R$ 2 milhões em emendas ano que vem. Diante de uma plateia de aproximadamente 150 pessoas, pediu aos jornalistas presentes que testemunhassem essa promessa pública. A plateia o aplaudiu calorosamente.

Na publicação, Viana presta conta de suas ações políticas em 2013 e propõe um pacto com a sociedade para resgatar valores culturais e históricos que sempre nortearam as maiores e melhores conquistas acreanas. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sena Madureira, Sirleide Elias, embarcou na mensagem da acreanidade: “Nós, as mulheres, somos guerreiras. Vejo que essa é a revista da natureza e pode ser a força dos povos da floresta. O povo vai se sentir honrado com essa homenagem”- disse. Jorge Viana acabou envolvido numa imprevista sessão de autógrafos, durante a distribuição de revista.

Ao visitar as obras de recuperação da avenida Avelino chaves, o senador foi cercado por populares que o abraçavam e se diziam contentes com sua presença na cidade. Na sequência, ele foi ao encontro com o Padre Paolino, figura histórica e imprescindível aos povos da floresta, e de dona Jandira, uma antiga militante que trabalhou em todas as campanhas do PT desde o início de sua carreira politica.

[publicado na edição deste sábado no página20]