Rio Branco já é melhor em saneamento que Manaus e Belém (administradas pelo PSDB)

 

Editado by Maria Lúcia

Zenaldo Coutinho, prefeito de Belém, e Artur Virgílio, de Manaus…os dois são tucanos.

 

depasa

AgGov

Instituto classifica Rio Branco com um dos melhores índices de saneamento do Norte

De acordo com informações atualizadas do Instituto Trata Brasil de 2015, com base nos dados oficiais do Sistema Nacional de Informação de Saneamento (SNIS), Rio Branco possui um dos melhores índices de saneamento da região Norte, a frente de Manaus (AM) e Belém (PA), superando a média nacional.

Este dado se contrapõe aos dados divulgados, nesta semana, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que cita que a região Norte deverá levar 35 anos para melhorar o problema do saneamento básico. O levantamento aponta que menos de 15% do esgoto é tratado e falta água encanada para mais de 47% dos municípios.

O Departamento Estadual de Pavimento e Saneamento (Depasa) estima que o atendimento real do sistema de esgotamento sanitário em Rio Branco situa-se em 53%, incluindo todas as estações e soluções individuais, índice de atendimento acima da média da região Norte (14,7%) e até mesmo da média nacional (39%), conforme dados do Instituto Trata Brasil.

Os dados catalogados pelo SNIS consideram, em suas avaliações como tratamento, apenas as ligações vinculadas às estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) convencionais, bem como não consideram ligações em funcionamento, que, em função da desatualização cadastral, não são inseridas no sistema.

“Dessa forma, grande parte do esgoto tratado em Rio Branco não é contabilizado nos dados oficiais do Ministério das Cidades, o que gera erros no momento em que estes estudos são realizados”, explica o diretor técnico do Depasa, Anderson Mariano.

Em Rio Branco, o sistema de tratamento de esgoto é composto por ETEs, distribuídas nos bairros Conquista, São Francisco, Redenção e Cidade do Povo, pelas Estações de Tratamento Compactas, sendo, aproximadamente, 70 distribuídas em toda capital, e pelas Soluções Individuais Particulares Fossas Filtros.

Anderson Mariano destaca, ainda, que com os investimentos em curso, sobretudo na ampliação das redes coletoras e finalização do programa Ruas do Povo, projeta-se que, ao final de 2018, será possível tratar aproximadamente 90% dos efluentes domésticos produzidos na capital.

Saneamento nos municípios isolados

Em âmbito estadual, o Depasa executa nos quatros municípios de difícil acesso Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Santa Rosa do Purus, por meio do Programa de Saneamento Integrado, ações de implantação de redes de esgotos e sistemas de tratamento, ampliação do sistema de abastecimento de água, pavimentação e construção de aterros sanitários.

“A população desses municípios, estimada em 39 mil habitantes, será completamente atendida até 2017, com saneamento básico. Isso melhorará sensivelmente os indicadores estaduais e diretamente a qualidade de vida da população”, frisa Mariano.