Pesquisa: com apoio de Lula, Haddad tem 32% de potencial e passaria ao 2º TUR

# haddad eleição 2018

Pesquisa FSB/BTG Pactual

haddad

Jornal GGN – Com o apoio de Lula, Fernando Haddad, como candidato do PT, tem 32% de potencial de voto na pesquisa FSB/BTG Pactual divulgada nesta segunda (10). Quando o eleitor não tem a informação sobre a benção do ex-presidente, Haddad tem 24% de potencial de voto.

O potencial de voto é a soma do “poderia votar” e “votaria com certeza”. A série de três pesquisas do BTG mostra que o desempenho de Haddad, com apoio de Lula, está estável. Na primeira sondagem, feita entre 25 e 26 e agosto, o ex-prefeito tinha 31%. Naquela semana, a rejeição (“não votaria de jeito nenhum”) era de 64%. Hoje, é de 63%, e 4% ainda não sabem responder.

Ungido por Lula, Haddad estaria mais próximo de enfrentar Jair Bolsonaro no segundo turno, mas teria de disputar a vaga principalmente com Ciro Gomes, que tem 36% de potencial de voto se a eleição fosse hoje.

O índice de Ciro é superior não só ao de Haddad sem Lula (24%) e com Lula (32%), mas também ao potencial de voto de Marina Silva (29%) e Geraldo Alckmin (30%).

Na prática, se a eleição fosse hoje, o potencial de voto em Haddad, com apoio de Lula, estaria empatado na margem de erro com Alckmin, Marina e Ciro.

Mas, como o GGN mostrou neste post aqui, Haddad tem outra vantagem: ao contrário de Marina e Alckmin, o ex-prefeito petista tem crescido em potencial de votos, ganhando 6 pontos desde o início da série. Na contramão, Marina perdeu 10 pontos em potencial de voto (e ainda aumentou a rejeição em outros 10 pontos), e Alckmin só ganhou 1 ponto.

INTENÇÕES DE VOTO

Bolsonaro é o candidato que lidera a disputa eleitoral de 2018 sem a presença do ex-presidente, que está preso em Curitiba e teve o registro de candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral. Bolsonaro tem na pesquisa realizada entre 8 e 9 de setembro – após o atentado à faca que praticamente o tirou da campanha de rua pelas próximas semanas – 30% das intenções de voto.

O segundo lugar na pesquisa estimulada é Ciro Gomes, com 12%. Haddad, sem apoio de Lula, aparece com 8% das intenções de voto, em empate com Marina Silva e Geraldo Alckmin. O potencial de voto de Ciro é de 36%, acima do de Haddad sem Lula, que é de 24%.