Associação de Magistrados cobra segurança para juízes

O vice-presidente da Associação dos Magistrados do Acre, Raimundo Nonato Maia, acusou o Estado de negligência na hora de garantir a segurança de juízes que trabalham, principalmente, em Varas Criminais e na Execução Penal.


capaSem_ttuloDos cinco magistrados que trabalham na área criminal, dois andam com seguranças. As juízas Maha Manasfi e Manasfi, da Vara de Execuções Penais e Denise Bonfim, da 2ª Vara Criminal, andam com policiais 24 horas.

O cuidado foi tomado depois de ameaças por telefone ou de presos que estão no presídio de Rio Branco. O juiz Raimundo Nonato Maia abriu mão da escolta, mas passou alguns meses com dois policiais militares a cada passo que dava. 

Em 2004, ao sentenciar uma quadrilha, recebeu ameaças por telefone. A partir daí, sua rotina mudou completamente. 

Hoje trabalhando com 2,5 mil processos, ele sabe que fere interesses e mexe com pessoas perigosas ligadas ao tráfico de drogas. 

“Quando calam um juiz estão calando a sociedade. Estamos servindo, trabalhando com pessoas perigosas, para o bem da comunidade”, diz Maia.

O magistrado disse que qualquer secretário de Estado consegue facilmente um segurança. 

Os deputados contam com a polícia legislativa, homens armados que protegem os parlamentares no interior da sede e até fora dela.

Segundo Maia, a negligência do Governo já prejudicou o trabalho de alguns juízes. 

Nos últimos 10 anos pelo menos oito magistrados sofreram ameaças. O assunto veio à tona e ganhou força esta semana, depois do assassinato da juíza criminal Patrícia Acioli, no Rio de Janeiro.

Na sexta-feira passada, ela morreu com 16 tiros quando chegava em casa. O juiz Raimundo Nonato, vice-presidente da Associação de Magistrados, cobra que o Estado é o responsável pela segurança de quem luta contra o crime, e quem tem que decidir o que fazer com as pessoas que andam a margem da lei.

Secretário de Segurança fará visita à Associação dos Magistrados 

Procurada para se manifestar sobre o assunto, a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado informou que conforme a necessidade e solicitação dos juízes, o Estado oferece a segurança.

O secretário de Segurança Pública,  Ildo Reni, ressalta que desde que assumiu a gestão da secretaria, não recebeu nenhuma solicitação de juízes.

De qualquer forma, fará uma visita ao vice-presidente da Associação dos Magistrados para conversar sobre o assunto, na terça-feira, 16.