Maioridade Penal: Os votos do Acre a favor do atraso

J R Braña B. – 

O assunto ainda não está encerrado, mas a pressão e o debate na sociedade brasileira podem modificar o comportamento da maioria dos parlamentares na Câmara dos Deputados.

Na noite/madrugada de terça, a câmara rejeitou reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos, o que representa uma vitória parcial da juventude, que não pode pagar a conta sozinha pela violência no país.

Entre os parlamentares do Acre, os da Frente Popular repetiram o voto, acertadamente, contra a redução da maioridade penal.

Foram eles: Leo, Sibá e Angelim (PT) e Cesar Messias (PSB).

Os votos do atraso, ou seja, para reduzir a maioridade penal e imputar aos jovens as mesmas penas de adultos, foram dados por: Flaviano, Jéssica, Rocha, e Alan Rick. 

Desses quatro, o mais incompreensível é o voto de Flaviano, que já foi considerado um político progressista.

Os outros…

A redução da maioridade penal é uma bandeira dos conservadores, da direita e de grande parte da mídia do Brasil.

Eles defendem encarcerar a juventude como a grande panaceia para acabar com a violência no país, mas não conseguem provar nem mostrar em qual lugar do mundo essa medida surtiu efeito positivo.

A sociedade acreana deve ficar de olho nos compromissos e nas ideias que defendem os parlamentares eleitos pelo seu voto.

Para evitar levar ao Congresso representantes do atraso político e social, como esses que votaram para reduzir a maioridade penal no Brasil.

voto do atraso
A favor do atraso – Foto-Montagem publicada no sítio Acre24horas

 

J R Braña B.