Ministério destina R$ 143,2 milhões para cirurgias eletivas (Acre terá direito a 577 mil)

Cirurgia eletiva é aquela que não é urgente, que pode ser marcada para uma data x, de acordo com o entendimento entre o paciente e o médico.

Ou ainda, como sugere o Portal da Educação: ‘Tratamento cirúrgico proposto, mas cuja realização pode aguardar ocasião mais propícia, ou seja, pode ser programado. Por exemplo: mamoplastia, gastrectomia’.

 

Editoria: oestadoacre.com
e-mail: [email protected]
twitter: @oestadoacre

saude cirurgia valor
AS
Luís Felipe Sardenberg

Estratégia prevê investimento em cirurgias prioritárias com o objetivo de reduzir o tempo de espera

Para reduzir as filas no Sistema Único de Saúde (SUS) e contribuir para o crescimento do número de cirurgias eletivas realizadas no Brasil, o Ministério da Saúde liberou R$ 143,2 milhões aos estados e municípios. A Portaria 1.034/2015, que destina esses recursos, também redefine a estratégia para ampliação do acesso aos procedimentos cirúrgicos eletivos de média complexidade, como cirurgias de varizes, ortopédicas, de urologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas.

(…)
Além do repasse previsto na Portaria 1.034/2015, os gestores locais contam com o limite financeiro de média e alta complexidade (Teto MAC), dinheiro enviado mensalmente pelo Ministério da Saúde aos estados e municípios que pode ser usado para cirurgias eletivas. Existe ainda a possibilidade de os governos estaduais e municipais usarem recursos próprios para essa finalidade.

(…)

O número de cirurgias eletivas no Brasil cresceu 11,7% em dois anos, passando de 2.120.580 em 2012 para 2.370.039 em 2014. No mesmo período, o investimento do Ministério da Saúde saltou de R$ 1,04 bilhão para R$ 1,33 bilhão (crescimento de 27,2%).

ESTADO VALOR
Acre R$ 577.576,39
Alagoas R$ 3.291.407,17
Amazonas R$ 2.031.403,01
Amapá R$ 240.844,22
Bahia R$ 12.556.968,78
Ceará R$ 5.838.031,33
Distrito Federal R$ 4.658.559,43
Espírito Santo R$ 3.145.541,31
Goiás R$ 5.180.972,04
Maranhão R$ 3.163.896,43
Minas Gerais R$ 16.466.174,82
Mato Grosso do Sul R$ 1.374.987,20
Mato Grosso R$ 1.353.141,53
Pará R$ 3.989.436,26
Paraíba R$ 2.425.637,58
Pernambuco R$ 6.525.355,65
Piauí R$ 1.824.458,05
Paraná R$ 8.296.304,66
Rio de Janeiro R$ 8.135.211,01
Rio Grande do Norte R$ 2.853.674,79
Rondônia R$ 626.991,89
Roraima R$ 249.068,98
Rio Grande do Sul R$ 8.847.704,76
Santa Catarina R$ 5.572.800,20
Sergipe R$ 1.327.132,50
São Paulo R$ 32.029.819,82
Tocantins R$ 651.902,49
Total R$ 143.235.002,30