Domésticas entre as mais afetadas na pandemia

#domesticas

logo oestadoacre

Comuniquese

Domésticas estão entre as categorias mais afetadas pela pandemia

O ano de 2020, quando relacionado às questões de trabalho, ficou marcado pelo trabalho remoto, também conhecido como home office. Potencializado pela pandemia e pelas regras de isolamento social, uma das categorias que foi mais impactada na economia foi a dos trabalhadores domésticos.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), desde o início de 2020 até o finaldo primeiro trimestre de 2021, o número de empregados nesse setor caiu de 6,4milhões para 5 milhões.

Quando analisadas as áreas mais pobres do país, o número de trabalhadoras domésticas que perderam o seu emprego é ainda maior. Somente em Heliópolis, região carente da cidade de São Paulo, 90% das trabalhadoras não têm mais nenhuma renda desde o início da pandemia, conforme pesquisa feita na comunidade pelo “De olho na quebrada”, que contou ainda com parceria da Organização Não Governamental (ONG) Action Aid e a fundação Open Society. A pesquisa aconteceu entre dezembro de 2020 e março deste ano e ouviu 58 diaristas.

“As diaristas, por exemplo, eram responsáveis pela limpeza enquanto os contratantes estavam trabalhando. Agora, com o trabalho remoto e com a crise econômica, que faz as pessoas diminuírem o seu potencial de gastos, encontrar uma oportunidade para os trabalhadores domésticos tem se tornado um desafio. As pessoas hoje com o trabalho em casa dividiram as tarefas e cortaram o gasto com o salário da doméstica e diaristas”, afirma Márcio Silva, CEO da CoinJob.