22 anos: Aniversário de morte do ex-governador Edmundo Pinto

22 anos se passaram – O então governador do Acre, Edmundo Pinto de Almeida, foi assassinado num hotel de luxo em São Paulo quando se preparava para depor numa CPI do Congresso sobre corrupção e desvios de recursos públicos. Àquela época uma onda de escândalos no Acre e no Brasil viraram manchetes na imprensa. Era o governo Collor.

O assassinato de Edmundo Pinto não teve suas causas explicadas. Especula-se que foi uma morte encomendada (Mas por quem? Por seus próprios aliados?Inimigos?).

Edmundo responderia à CPI perguntas sobre desvios de recursos nas obras do Canal da Maternidade, que só começou e ficou pronta quando o ex-governador Jorge Viana, PT, assumiu o governo.

A polícia de São Paulo manteve sua versão de que foi latrocínio (roubo seguido de morte).

17 de maio de 1992 foi um domingo.

Edmundo foi morto na madrugada dentro do apartamento 707 do Hotel Della Volpe Garden na Rua Frei Caneca, na capital paulista.

O governador de São Paulo à época era o peemedebista Luiz Antônio Fluery filho, que autorizou no mesmo ano o massacre de 111 presos do Carandiru pela polícia.

[Na foto, Edmundo, de gravata, em reunião com prefeitos Manoel Urbano, Sena, Tarauacá e Plácido, além do então secretário da Receita Federal no Acre, empresário/latifundiário Pedro Dotto]