Projeto aprovado em comissão no Senado tira foco do Bolsa Família dos mais pobres (coluna do Braña)

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, afirmou que o governo avalia com preocupação a aprovação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado de projeto que torna lei a revisão obrigatória da elegibilidade dos beneficiados pelo Programa Bolsa Família a cada dois anos e fixa um período adicional de seis meses para que a família continue recebendo o benefício, depois de perder as condições de continuar incluído no programa. De acordo com a ministra, o projeto tira do programa o que ele tem de mais importante: chegar na população mais pobre.

-Nós estamos muito preocupados com a aprovação hoje, na Comissão de Assuntos Sociais, do Senado de um projeto de lei (…) que, na nossa avaliação, deturpa e deforma o Bolsa Família e tira do Bolsa Família aquilo que ele tem, não só de importante, mas mais valorizado em todos os lugares, que é chegar na população mais pobre. Qual é hoje a característica do Bolsa Família mais valorizada no mundo todo? O Bolsa Família não só é o maior programa de transferência de renda do mundo, como é o programa mais bem focalizado. O que significa isso? Chega na população pobre. A gente sabe quem é a população pobre e está chegando para essa população. Gastamos 0,5% do PIB para 14 milhões de famílias pobres no Brasil – avaliou.

Saiba mais sobre esse assunto na Coluna do Braña, com vídeo da ministra