Alan Rick, o principal vossa excelência votou pela guilhotina no pescoço do trabalhador!

Alan Rick, o principal vossa excelência votou pela guilhotina no pescoço do trabalhador!

 

J R Braña B.

O deputado Alan Rick é engraçado ou não entendeu até agora o voto prejudicial aos trabalhadores que deu no PL da Escravidão (Terceirização). 

Ele e mais três colegas seus deputados federais.

Alan, que está no primeiro mandato, e foi eleito com muitos votos de trabalhadores e até desempregados, esquece o principal, aquilo que interessa de fato à classe trabalhadora (que é não aprovar a Terceirização) e prioriza o secundário, os detalhes, importantes, porém secundários, repito, sobre acesso ao Seguro-Desemprego pelo mesmo trabalhador demitido.

alan rick

 

Hoje o deputado espalhou nas redações do Acre essa opinião:

– Sou absolutamente contra a restrição do acesso do trabalhador ao seu seguro-desemprego. Quem tá na ponta não pode ter o seu acesso dificultado. As duas medidas provisórias criam regras que a meu ver são desnecessárias e terão que ser revistas.  E contra por que essas MPs que retiram direitos dos trabalhadores.

Alan, vossa excelência deveria ter se preocupado com a guilhotina no pescoço dos trabalhadores, que foi a aprovação na sua câmara, com o seu voto, da Terceirização que, com certeza, não passará no senado sem grandes e necessárias alterações.

Os ajustes no seguro-desemprego que o governo pretende fazer são necessários, em parte, para evitar, entre outras coisas, as fraudes costumeiras que são verificadas no mercado de trabalho.

Esse não é o ponto essencial da luta trabalhista que se trava hoje no país.

O principal é a Terceirização (prejudicial às relações de trabalho e consumo), que vossa excelência disse sim.

Deputado Alan, seu mandato, sob o olhar da classe trabalhadora, começou muito mal.

Pensou-se no Acre que sua excelência pudesse ser um aliado dos milhares de assalariados que foram às urnas emprestar confiança ao seu mandato.

Decepção!

Fazer o quê?!

Sua essência de classe, a dominante, já foi entendida.

Pena que tenha sido somente depois das eleições.