Depois da tempestade, o Acordo: 7 mil nos bolsos dos professores a partir de fevereiro

AgGov

professor

Governo negocia critérios de pagamentos para progressão funcional

As negociações entre o governo do Estado, Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac) e Sindicato dos Professores da Rede Pública de Ensino do Estado do Acre (SinproAcre) avançaram na quarta-feira, dia 6, com o estabelecimento de critérios de pagamento para as diferenças salarias de promoções tardias. Cerca de R$ 14 milhões vão ser investidos na classe de educadores do Acre.

O acordo extrajudicial foi assinado em julho de 2015 e prevê que R$ 6,9 mil seriam repassados para os educadores em duas parcelas iguais, sendo a primeira a partir de fevereiro de 2016. Mais de dois mil professores se beneficiam da progressão funcional, que é conhecida popularmente como puladinha. Em 2015, houve a puladinha extra, equivalente a uma promoção, na qual foram pagos R$ 216,12 nos meses de junho, julho e agosto.

O diálogo é constante com o movimento sindical e comunidade escolar.  O que foi estabelecido é que os primeiros a receber seriam os filiados ao sindicato. O segundo critério é que dentre os filiados, a ordem seria de acordo com a data de admissão em ordem crescente, beneficiando assim o movimento organizado. A cada mês, cerca de 215 professores recebem a primeira parcela e a segunda será no ano seguinte.

“O governo cumpre de forma responsável todos os acordos feitos com os servidores ao longo dos anos. Tudo que pode ser feito para a valorização das carreiras tem sido feito de forma transparente e democrática”, declara o secretário de Educação, Marco Brandão.