Já é 2017, mas não esqueçamos do Infeliz 2016!…

Crianças indígenas do interior do Acre: bela foto de Sérgio Vale/govAC

Ano e número de anos são convenções que o homem inventou para ajudar na convivência em sociedade.

Pois o tempo, o tempo mesmo, não tá nem aí para as convenções dos humanos…

2016, 2017, 2050….tudo isso é nada…Ou melhor, é convenção.

O tempo não tem data, ano, meses, dias, horas, minutos…o tempo é simplesmente o tempo.

Quem nos garante que o número certo deste ano que começa hoje é 2017?

Quem?

Todavia…seguimos as convenções, infelizmente, felizmente…

Esse ano que fica não pode ser esquecido assim, sem mais nem menos.

Foi um ano de retrocesso para o Brasil.

Ano em que a democracia foi a nocaute.

Ano que as elites empresariais, banqueiros, parte do judiciário (seus penduricalhos) e velha mídia se uniram para derrotar os avanços que o povo brasileiro havia conquistado em 12 anos de Lula e Dilma.

Podem achar ruim, mas essa é a verdade.

Verdade histórica.

2016 não acabou ainda.

Só acabará quando a democracia for restabelecida…e a vontade popular respeitada.

2017 começa envergonhado.

Vamos tocá-lo porque temos de seguir em frente.

Porém com a certeza de que andamos para trás no ano que passou…

Em algum momento teremos de resolver 2016…reencontrá-lo e acertar as contas.

Foi o ano em que o Brasil se apequenou e transformou-se numa republiqueta de bananas golpista.

2016 será um fardo por algum tempo.

Talvez por muito tempo…

E isso reduz drasticamente nossa expectativa de um Feliz 2017!

Mesmo assim, Feliz Ano Novo!

J R Braña B.