CNI preocupada com saneamento no Acre (hum…privatização à vista!) (ouça)

# cni ibge

saneamento
No item produção e distribuição de água, o município de Sena Madureira e outros deram um salto qualitativo  no último ano…falta investimento para dotar Sena e as outras de sistema de esgoto sanitário.

Via ARB

Levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com dados do IBGE, aponta que 18 dos 22 municípios do Acre (82%) registraram doenças relacionadas à falta de saneamento básico no ano passado. Diarreia, verminose e dengue estão entre os casos com maior incidência no estado. Os dados mostram ainda que apenas 12% da população acreana tem acesso à rede de esgoto.

Ouça:


Em tempo: Aprovada MP pelos senadores e deputados do Marco Legal do Saneamento Básico no Brasil (leia-se: caminho para privatizar os serviços de água e esgoto nas cidades brasileiras)

Em tempo 2: Aqui no Acre, no próximo governo, a ‘ideia’ da privatização da captação, produção e distribuição de água vai entrar na pauta…fique atento! As contas, por consequência, vão ser similares às de energia… Essa ideia de privatizar o serviço de fornecimento de água vai na contramão das principais cidades pelos mundo, que estão retornando para os serviços estatais de distribuição porque o setor privado, que só pensa em lucro, não cumpre com suas obrigações de universalizar o benefício (água e esgoto), além de ficar impagável a conta do serviço que é um direito de todo cidadão.

Todos sabem os graves problemas que o Acre tem em relação ao saneamento básico, especialmente no interior, mas não será a privatização desses serviços que vai resolver essa deficiência….pelo contrário: pode agravar.


Gostou desse post? Ajude a manter oestadoacreclique aqui