Estado máximo aos amigos (ao povo: desemprego, ração e circo)

estado reforma #

O desemprego explodiu nos três primeiros meses 18% no Acre, mostra o IBGE no relatório divulgado nesta quinta aqui neste blog.

É o poço sem fundo…ou o túnel sem a luz no final…

(Enquanto isso, ‘nosso Guia’ faz um tour com Bolsonaro, com agenda vazia –  pelo território norte-americano que um dia foi do México…o Texas).

Bem, os novos donos do Acre, os que defendem o Estado Mínimo para a maioria (e a Reforma da Previdência excludente), já se esforçam para deixá-lo mais mínimo ainda….

Mínimo na saúde, na segurança, na educação, no salário, no emprego e mínimo também nas ações efetivas no campo econômico que gere pelo menos esperança entre os nativos…

Porém, por outro lado, cargos aos borbotões a aliados (comuns em todo governo, registro para não ser injusto) não faltam.

Vem aí mais 450…e algumas diretorias…mas só para os da Diretoria, evidente.

O governador chamou isso, dias atrás, de abrir o canal…entre secretários e aliados…

Está aí: totalmente aberto.estado máximo

Em tempo: quem disse que não há política de combate ao desemprego no Acre…traduzindo: nada mudou nos últimos cinco meses…

Em tempo 2: é sempre assim quando se assume o poder por aqui: aos seus, tudo; ao povo: desemprego, ração e circo…não necessariamente nessa ordem.

J R Braña B.