‘Ação integrada’ é a nova arma da Segurança contra o crime (com infográfico)

O Sistema de Segurança Pública vai fechar ainda mais o cerco contra a criminalidade em Rio Branco. Foi lançado durante entrevista coletiva, o Plano de Ação Integrada pela Paz. Trata-se de uma nova abordagem aliada à intensificação das ações já existentes, como as operações Saturação e Cidade Segura, que serão mantidas.

O plano será executado de forma integrada com todos os participantes do sistema, desenvolvido a partir das regionais de segurança. O primeiro passo é a atuação dos setores de inteligência. Em seguida, entra o trabalho da Delegacia Itinerante e demais forças policiais. Paralelamente a essas ações, haverá maior presença de policiais nas ruas.

infografico-sistema-seguranca-criminalidade-thennyson-passos-32png

O secretário de Segurança Pública, responsável por coordenar as ações da área, explica que nos últimos 20 dias já houve redução nas ocorrências de roubos e homicídios, fruto da maior ação policial, preventiva e repressiva, nas ruas. “O plano de ação integrada pela paz é mais uma ação no combate à criminalidade”, comentou.

O secretário de Polícia Civil, Emylson Farias, ressaltou que o plano traz uma nova abordagem, novas estratégias, e mantém ações que já vinham em execução. Para o comandante da Polícia Militar, coronel José Anastácio, os bons resultados que começam a se desenhar na segurança pública são decorrentes de ações como a Operação Saturação, que mantém 60 homens nas ruas diariamente, pela manhã e tarde, além das operações integradas nos fins de semana e demais ações mantidas por cada batalhão nas diversas regionais.

Reni Graebner destaca ainda que a segurança pública sempre foi prioridade para o governador Tião Viana, que desde o início de sua gestão não mediu esforços para valorizar e oferecer condições de trabalho aos profissionais da área. Viaturas, armamentos, coletes de proteção balística e outros equipamentos foram entregues em todos os municípios para estruturar e melhorar a segurança publica, por meio da Estratégia Nacional de Segurança nas Fronteiras (Enafron), criada em 2011 pela presidente Dilma Rousseff, que já investiu mais de R$ 31 milhões no estado, e até o fim do ano serão R$ 40 milhões.

[agana]