No Juruá, Bocalom, Henrique e Duarte afirmam: “a agricultura é vital para o desenvolvimento do Acre”

Os candidatos ao governo do Acre, Bocalom, a vice-governador, Henrique Afonso, e o candidato ao Senado da República, advogado Roberto Duarte, afirmaram que o investimento na agricultura é um dos pilares da proposta da coligação. “Essa prioridade trará, juntos a outros setores da economia, um novo tempo de desenvolvimento para o Acre”, disse Bocalom, na manhã desta sexta-feira (18) em visita aos agricultores e feirantes do Mercado José Batista de Macedo, no município de Mâncio lima.

O Acre é o único estado da federação que ainda não entendeu o quanto esse setor é estratégico. Saímos do combalido extrativismo para o nada. Eu proponho que a agricultura chegue aos rincões para desenvolvê-los de fora para dentro, ou seja, do interior para os grandes centros urbanos”, afirmou.

Para o candidato, “se existir uma grande produção agrícola, os acreanos se alimentarão melhor e o excedente irá para a exportação. Esta é uma bem definida cadeia produtiva que chamo de autodesenvolvimento ou agroindustrialização – investimentos que devem ser estimulados por programas institucionais como forma de conter o êxodo rural”, completou.

Henrique Afonso, por sua vez, diz que o Acre tem as condições naturais para ser desenvolvido. Estudos da Embrapa, segundo ele, mostram que o solo acreano é apropriado para o cultivo da mandioca. “A fécula ou goma, subproduto da raiz, é versátil como matéria-prima industrial, que pode ser utilizada em setores tão diversos quanto o alimentício, o têxtil e o de papel, entre outros”, afirmou ele, citando também o açaí, que tem grande aceitação no mercado nacional e internacional.

Essas iniciativas teriam um propósito único, acrescenta Henrique Afonso: “fazer com que as políticas públicas cheguem aos agricultores familiares e possam viabilizar a produção agroindustrial pelos mesmos, agregando valor a sua produção, gerando trabalho e renda e a consequente melhoria de qualidade de vida desse grupo pouco assistido pelo poder público”.

Para o candidato ao Senado, Roberto Duarte, é preciso, ao mesmo tempo, investir naquilo que existe em abundância no do Vale do Juruá.  “O Vale do Silício, na Costa Oeste americana, desenvolve-se no meio do deserto. Eles montaram um parque industrial para empresas de tecnologias no meio do nada. Estamos em uma das regiões de maior biodiversidade de planeta. Podemos criar o “Vale Bio, onde empresas dos ramos de fármacos e cosméticos possam aqui se instalar”, propõe ele, afirmando que, se eleito senador, irá articular e promover projetos de desenvolvimentos para apoiar políticas públicas neste sentido”.

A Caravana 25 percorreu bairros de Mancio Lima, Cruzeiro do Sul e Rodrigues Alves. Os candidatos retornarão a Rio Branco na tarde de domingo pela BR-364.

[press release do candidato]