FlavianoM faz autocrítica: ‘Nós, da oposição, fracassamos’

Eles até que tentaram voltar ao poder no Acre, mas a maioria dos eleitores não deixou.

Há séculos a Oposição no Acre se apresenta com as mesmas caras.

Subestimou os processos naturais de renovação.

Até que, FlavianoM, o ainda mais lúcido entre os da Oposição, deu o braço a torcer.

E declarou: ‘Oposição precisa apresentar caras novas’.

Traduzindo FlavianoM: ‘Nós da Oposição fracassamos. Não dá mais’

flavianoac24horas
print do acre24horas

Aí vem o MBittar e aponta quem é a sua renovação: ‘GladsonC’

FlavianoM, diz ao MBittar que renovação não é sinônimo de novo de idade, não!

Há coisas novas que são mais velhas que as velhas de verdade.

Diz isso ao MBittar, FlavianoM!

Diz…


J R Braña B.

 

Flaviano Melo: oposição precisa apresentar caras novas

Nelson Liano – Acre24horas

 

O político acreano mais experiente ainda no exercício do mandato, deputado federal Flaviano Melo (PMDB), analisou os principais assuntos pós eleitorais. Reeleito para o seu terceiro mandato na Câmara Federal, Flaviano que já foi também governador do Acre, prefeito de Rio Branco e senador está empenhado junto com o PMDB em apresentar uma proposta para a Reforma Política. Além disso, nessa entrevista exclusiva, o parlamentar analisou as causas das seguidas derrotas da oposição para a FPA aos cargos executivos. E traçou um quadro para o futuro político da Nação.

Nelson Liano Jr. –  Numa eleição tão disputada para Câmara Federal aqui no Acre e, com gente com campanhas mais estruturadas que a sua, qual é o segredo de manter a sua votação dando a impressão que são votos cativos?

Flaviano Melo – Meu votos são consequência de um trabalho prestado ao longo de muitos anos. Isso começou com meu pai (Raimundo Melo) que morreu há 30 anos e ainda hoje encontro muita gente que vota em mim por causa do trabalho dele. Pessoas que o admiravam. Em seguida passou para o meu irmão (José Melo) que também trabalhou muito. E eu pelos cargos que passei também fiz muita coisa no Estado e continuo trabalhando pelo povo do Acre. Destinando emendas, defendendo a democracia e exercendo o meu mandato de forma correta. Então não existe mácula na minha carreira política. Isso que me leva a ter uma votação constante.

NL- Como o senhor analisa o resultado eleitoral do Acre? Mais uma vez a diferença entre a FPA e a oposição para o Governo ficou num percentual muito baixo.

FM- Todos nós sabemos que o Acre é um estado politicamente dividido. Metade da população aprova o atual Governo e a outra é contra. E nós da oposição se quisermos ganhar a eleição temos que conseguir uma vantagem de mais de 5%. Com a reeleição num estado pequeno perder é muito difícil. Então se houver uma vantagem de 2 ou 3% no dia da eleição sempre se tira. Que foi o que aconteceu agora. Qualquer pesquisa nossa dava o nosso candidato com 2 ou 3% na frente. E eu dizia que ainda era pouco porque era possível reverter. Foi o que aconteceu. Eles conseguiram tirar essa diferença nos últimos dias da campanha.  A oposição precisa estar mais atenta e apresentar coisa nova. Candidato novo. O povo quer cara nova. Nas últimas quatro eleições nós perdemos com os mesmo candidatos. Então vamos procurar gente nova para renovar e ganhar esses 10% que faltam para assumir o Governo.

(…)