Leo: ‘Hora de nos armamos para enfrentar quem quer nos destruir’

O deputado federal do PT, Leo de Brito, se posicionou em relação à entrevista do senador Jorge Viana esta semana na imprensa do Acre.

(Acre: Atrito interno no governo só interessa à oposição aqui)

J R Braña B.

 

Deputado Federal Leo

Venho acompanhando a repercussão da coletiva dada pelo senador Jorge Viana e tenho algumas observações a respeito.

leo março

Liberdade de expressão

No Partido dos Trabalhadores todos os filiados têm o direito à livre manifestação do pensamento e o senador, como um de nós, tem autonomia para fazer suas leituras. Seu histórico político e o papel atual que exerce, de vice-presidente do Senado, lhe conferem a visibilidade para os mais diversos temas que venha a abordar e, desta forma, a reverberação é esperada.

Cenário nacional

Sua análise da governabilidade com o Congresso, do fracasso do atual sistema político e a necessidade do PT “sair das cordas” são muito pertinentes, inclusive, considero autocríticas necessárias, pois garantem uma oxigenação de pontos de vista. Porém, vejo que o momento é para nos armarmos contra quem quer nos destruir e há uma orquestração de setores ultraconservadores que disseminam o ódio contra o PT, que buscam de todas as formas criminalizar até as contribuições legais recebidas em nossas campanhas. Fomos o governo que mais combateu a corrupção, criando mecanismos de controle e fortalecendo as instituições de fiscalização, e isso não foi lembrado pelo senador.

Cenário regional

O momento conturbado que enfrenta o PT e o governo da presidente Dilma Rousseff não se reflete na atual conjuntura estadual. Aqui, o PT segue fortalecido. A direção está firme, mobilizando a militância. Tião respeita o PT. Vale recordar a vitória que tivemos em 2014. Vamos ao quinto mandato à frente do Estado, temos 5 deputados estaduais, 3 federais e um bloco de sustentação coeso na Assembleia Legislativa. O governo Tião segue bem.

Governo Estadual

Sobre sua posição acerca do governo Estadual, comandado pelo Tião Viana, creio que seja muito prematuro tecer qualquer tipo de crítica ao secretariado nesses primeiros 100 dias uma vez que tivemos mudanças significativas no secretariado. Esse será um ano atípico, em que alguns ajustes financeiros serão fundamentais e o diálogo com a sociedade será uma ferramenta de trabalho imprescindível. É o governador está determinado a fazer um ano de austeridade.

Política de alianças

A opção que o Tião fez em incentivar a candidatura de secretários, em minha opinião, foi um grande acerto e a atuação do Daniel Zen e do Lourival Marques são provas disso, pois se destacam nesse início de legislatura, como parlamentares que têm conhecimento técnico e fazem o bom combate da política. Essa posição do governador não fragilizou nossas alianças, pelo contrário, fortaleceu, basta olhar para a Assembleia e perceber que 2/3 da nossa bancada é composta por partidos aliados.

Diferenças entre os governos

Finalizando, vejo que cada um tem seu toque, sua forma de governar. Isso é fruto da equipe, do planejamento, do perfil político de cada líder e, principalmente, da realidade vivida em cada governo. O Jorge Viana tirou o Acre do fundo do poço, o Binho consolidou um trabalho e fortaleceu os avanços na educação e na tecnologia, agora, o Tião está fortalecendo as políticas de industrialização do Acre e dando visibilidade à nossa economia, sem abandonar nosso foco na sustentabilidade. São governos complementares, com suas prioridades e peculiaridades.