Mais um transplante de fígado (o 8º) é realizado num hospital do Acre

Extraído da Ag Gov
Diego Tenutti

Foto-1-1-580x384
Avião fretado pelo governo do Estado traz órgão doado de Mato Grosso do Sul (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

Depois de mais de 26 horas, terminou com sucesso o oitavo transplante de fígado realizado no Acre, na madrugada deste domingo, 19. O órgão foi doado por uma família de Mato Grosso do Sul e foi transportado em avião fretado pelo governo do Estado para Rio Branco. O paciente que recebeu a doação tem 51 anos, está bem e em recuperação pós-operatória na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco.

Todo o trabalho para realização do transplante começou na noite de sexta-feira, 17, quando a Central Nacional de Transplantes informou à Central de Transplantes do Acre sobre a disponibilidade de um órgão em Campo Grande (MS) compatível com um paciente de Rio Branco. A partir desse momento, uma série de ações é desencadeada. O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), autoriza o fretamento da aeronave para transportar o órgão.

Foto-2-11
“Além do transplante do meu marido, agradeço também pela cirurgia cardíaca do meu irmão. Todos feitos aqui no Acre, perto da família”, diz a esposa do paciente, Ana Ferraz (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

 

De São Paulo, médicos que compõe a equipe de transplantes do Acre pegam o primeiro voo com destino a Rio Branco. Enquanto isso, outro médico, também do estado paulista, segue para Campo Grande para fazer a retirada do órgão doado. No sábado, 18, o paciente receptor do órgão já está internado no HC, em preparação para o procedimento cirúrgico. Às 20 horas, pousa o avião com o órgão e parte da equipe médica. Com paciente e equipe médica preparados no centro cirúrgico, o transplante começa por volta de 21 horas e termina, com sucesso, a uma hora da madrugada de domingo, 19.

fígado transp

Em vigília, estavam familiares do paciente receptor, na sala de espera do centro cirúrgico do HC. “Há oito anos, meu marido descobriu que estava com hepatite C. Fez todo o tratamento aqui no Acre, tudo pelo SUS [Sistema Único de Saúde]. Até que a doença agravou para uma cirrose, o que o colocou na fila de espera por um transplante”, conta a esposa do paciente receptor, Ana Cláudia Ferraz.

Por ser o transplante de fígado um procedimento cirúrgico de alta complexidade, todos os pacientes ficam, em média, cinco dias internados na UTI, em recuperação. Depois, vão para leitos normais até receberem alta médica. Mesmo de alta, eles continuam o tratamento com medicamentos para evitar a rejeição do órgão, por exemplo, ofertados gratuitamente pelo SUS. O Serviço de Atendimento Especializado (SAE) do HC é o setor que acompanha os pacientes, onde fazem consultas rotineiras com os médicos especialistas em transplantes.

Transplante no Acre

Foto-4
“Importantíssima a atitude solidária e humanitária da família que doou o órgão. Sem isso, o transplante não seria possível”, ressalta o secretário Armando Melo (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

 

 

O mês de abril de 2014 marcou a história da saúde pública do Acre, quando o vigilante Lúcio Nepomuceno passou pelo primeiro transplante de fígado realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), na região Norte do país.

“Sou o resultado da família que doou o órgão, da dedicação dos médicos e do hospital, do empenho das equipes de governo e da permissão de Deus para que eu retomasse a minha vida normalmente”, disse Nepomuceno, no dia em que recebeu alta médica.

O procedimento de alta complexidade envolve profissionais do Acre e de São Paulo, liderados pelos médicos especialistas Isamu Lima e Tércio Genzini.

Para o Acre começar a realizar transplantes de fígado, foram dois anos de estruturação do hospital e treinamento de profissionais. Além do transplante de fígado, o Acre realiza os transplantes de rim e córnea, desde 2006 e 2010, respectivamente.

“Agora já estamos em fase de habilitação do Acre para realizar transplante de pâncreas e ossos. Com isso, o estado continua o processo de melhoria e ampliação dos serviços de saúde. E isso tudo é resultado do empenho do governador Tião Viana e de uma equipe de governo que trabalha incansavelmente pela saúde da população”, comemorou o secretário de Estado de Saúde, Armando Melo.

Entre notificação e finalização do transplante, foram mais de 26 horas de trabalho (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)