Nada de jogar a toalha…vai ter luta!

Nada de jogar a toalha…vai ter luta!

 

J R Braña B.

 

O PiGuinho local foi ao lançamento da revista do senador JV, nesta manhã, com um intuito: criar uma manchete de que a saída de Dilma, via senado, é favas contadas.

Obteve uma declaração pouco feliz de JV:

-Tá virando um fato consumado.

Respondo com duas antíteses:

Uma do governador Tião Viana (dias desses, dia 18, acho, pelo Twitter) e a outra, de Lula, que deve servir de orientação para todos que lutam contra o Golpe jurídico-parlamentar-mediático.

Tião Viana: Tenho orgulho de ser  do PT. Sou Lula e Dilma e não abro’.

Lula: Não aceitaremos o Golpe. Vai ter luta!

A frase de Lula é mais que uma frase apenas, é uma orientação política que o seu partido deve levar a cabo enquanto durar a tentativa de Golpe e mesmo depois – se for o caso – do fato consumado.

‘Vai ter luta’ significa que os democratas do Brasil não podem deixar barato e denunciar em todas as oportunidades os golpistas da atualidade.

Para ser completo o lançamento da revista do senador JV, o evento, deveria ter sido um momento de debate político.

Com o senador puxando, afinal de contas ele é a nossa maior liderança no Congresso Nacional.

Estava lá toda a imprensa da capital.

Que, como todos sabem, reza na cartilha dos golpistas, mesmo se fingindo de aliada do governo do PT no Acre.

Não é hora de pensar em jogar a toalha.

É hora de intensificar as denúncias contra os que desejam pisar e rasgar a Constituição.

É uma guerra política e de informações.

Os democratas, mesmo aqueles que não apoiam o governo Dilma, não podem aceitar de braços cruzados a derrota para os bandidos do Congresso. 

Sim, bandidos, pois são assim que os parlamentares brasileiros são chamados pela imprensa internacional.

Não há derrota antecipada.

É preciso desmascarar os que querem derrubar o governo.

Governo legítimo!

Pacto?

Pacto com a elite foi o que destruiu o governo do PT.

Que tem sua matriz desde 1973, quando esse mesmo pacto da esquerda com a elite, destruiu o governo trabalhista de Allende, no Chile.

Não se vira um jogo sem ganhar a opinião das pessoas.

Dos trabalhadores.

Dos que ajudaram a eleger este governo.

Por isso, não se pode deixar barato a sanha golpista.

Não tem nada decidido ainda.

Não tem nada de jogar a toalha.

A orientação de Lula é a mais acertada até agora:

Vai ter luta!

che
Che ensina sobre vitórias