Saúde e dignidade em município isolado do Acre

AgGov:

Saneamento ambiental chega a Marechal Thaumaturgo

marechal_thaumaturgo_foto_gleilson_miranda-2

 

Localizada no Alto Rio Juruá, na foz do Rio Amônia, Marechal Thaumaturgo vai receber R$ 24 milhões do Proser (Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre) para melhorar a vida de seus 16.895 habitantes. O recurso será aplicado em pavimentação, esgotamento sanitário, rede de água tratada, coleta e destinação do lixo.

A cidade é sede de um dos quatro municípios mais isolados do Acre – os outros três são Santa Rosa, no Purus, Jordão e Porto Valter no Juruá.

Com peculiaridades  e encantos geográficos, Thaumaturgo é o município mais protegido do ponto de vista ambiental e guarda uma das maiores biodiversidades da Amazônia. Seu território está quase inteiramente dentro da Reserva Extrativista do Alto Juruá, a primeira do Brasil, e possui quatro reservas indígenas, sendo três na fronteira com o Peru.

Edvaldo Magalhães, diretor-presidente do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), informa que a população local costuma usar a expressão “é um lugar onde a terra anda, onde a água é salobra, onde o sabão não faz espuma”. Isso ocorre porque a cidade foi edificada em cima de um maciço de terra que se move e dificulta todo tipo de construção, explica o diretor.

Ainda segundo Magalhães, no município a obra vai exigir soluções novas em engenharia. “Fizemos uma parceria com a Fundação de Tecnologia do Acre [Funtac] para, juntos, realizarmos experimentos que possam resultar no saneamento ambiental integrado: pavimento, rede de esgotamento sanitário e abastecimento de água”, destacou.

As obras

marechal

Serão executados 3,70 quilômetros de pavimentação e mais oito quilômetros de rede de esgoto. Serão construídas também 775 unidades de ligações domiciliares de esgoto e 11 estações de tratamento de esgoto (ETE).

Também será ampliada a estação de tratamento de água (ETA), instaladas 720 unidades domiciliares de água e providenciados mais 3,9 quilômetros de rede de abastecimento e cinco quilômetros de drenagem de águas pluviais.

Em todos os municípios de difícil acesso – Jordão, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Santa Rosa do Purus – serão construídos rampas de concreto armado e terminal de transbordo para os ribeirinhos descansarem e ajudar no escoamento de sua produção para outras cidades acreanas.

(…)

O programa de saneamento ambiental integrado será implantado nos quatro municípios com o menor índice de desenvolvimento humano (IDH) do Acre e também considerados os de difícil acesso. Mais de 34 mil pessoas serão beneficiadas com essas ações.