Narciso Mendes: ‘Serei o primeiro da fila para me vacinar contra o Covid’

Inacreditável.

A primeira vacina contra a Covid-19, só será recomendada, após as devidas e rigorosas comprovações científicas.

Inacreditável

Por Narciso Mendes

narcisoOs principais centros científicos do mundo encontram-se diuturnamente voltados para descobrir uma vacina contra a Covid-19 e alguns deles já se encontram em estágios bastante avançados. Isto nos faz crer que, no curto prazo, uma ou várias delas serão descobertas e reconhecidas pelos mais qualificados, exigentes e eficientes centros científicos do mundo.

Se a Covid-19 já levou a óbito mais de um milhão de vidas humanas, nenhuma notícia poderia ser melhor que a descoberta de sua vacina, afinal de contas, só e somente só, em isto acontecendo, a humanidade ver-se-á imune de ser contaminado pelo novo coronavirus.

Eu, particularmente, buscarei ser o primeiro em uma das filas que se formarem pelos tantos quantos pretenderem se vacinar, independente do país cujos cientistas a tenha descoberto. Se comprovada a sua eficiência, não questionarei a natureza do regime político do país que a tenha descoberto, posto que, o coronavirus não escolhe os infectados em razão de suas ideologias, crenças ou raças.

Lamentavelmente, deste o surgimento do novo coronavirus, ao invés dos países, indistintamente, unirem-se para combater um inimigo que veio se revelar contra todos eles, como de fato se revelou, o pior acabou acontecendo, no caso a politização da Covid-19. Pior ainda: o precursor da discórdia veio ser o atual presidente dos EUA, Donald Trump, tanto foi que, propositadamente, veio denominá-lo de vírus chinês, e contra o qual ainda dizia que o seu país se encontrava pronto e preparado para enfrentá-lo. Irresponsavelmente chegou a compará-la a uma gripe. Resultado: o próprio EUA já se tornou, por antecipação, o campeão mundial de mortes derivadas da Covid-19.

O que seria do mundo, e em particular, do nosso país, se não existissem as vacinas contra a febre amarela, a meningite, a poliomielite, o rotavírus e as gripes, sobretudo, aquelas provocadas pelo vírus influenza e suas diversas mutações?

À propósito, o estatuto da criança e do adolescente determina até mesmo que os pais vacinem os seus filhos contra uma série de doenças e os responsabilizam se assim não procederem. Para tanto, basta que verifiquemos o que determina a lei 8.069/90. No programa nacional de vacinação, segundo a lei, 3842/2019, portanto, aprovada pelo atual Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro, está previsto pena de detenção para os pais que, sem justa causa, não vacinares os seus filhos. Por último: descoberta a vacina contra a Covid-19, venha de onde vier e se comprovada cientificamente, vacine-se.