STF: Cooptação de parlamentares com recursos do Orçamento

#orçamento

camara

A maioria gosta e diz que tudo é para as ‘bases’….bases, sabemos o que são ‘bases’…O STF (ministra Carmen Lúcia), chama de cooptação, um eufemismo, que chamado pelo nome de verdade nos botecos das esquinas atende por compra de votos de deputados e senadores para apoiar Bolsonaro…uma festa com recursos da população, como explica o senador Randolfe a O Globo abaixo:

— Todo esse dinheiro é distribuído de forma fisiológica entre o Centrão e segue para o bolso de alguns parlamentares, alguns prefeitos e empresários como forma de compra de apoio no Congresso pelo Planalto. É a corrupção de forma institucionalizada, a realização dos sonhos do Centrão – diz o senador Randolfe sendo mais claro que a ministra Carmen.

O Globo deste domingo

(…) Enquanto partidos do Centrão, juntos, lideram o ranking de número de parlamentares contemplados e o volume de recursos liberados pelo orçamento secreto, o PT, dono da segunda maior bancada na Câmara, teve apenas quatro de um total de 53 deputados beneficiados, segundo o levantamento. Integrantes de legendas da oposição à esquerda, como Rede, PSOL, PCdoB e PV, ou à direita, caso do Novo, nem sequer constam da lista dos congressistas que receberam emendas do relator. A análise foi feita em um universo de R$ 3,2 bilhões, uma amostra dos R$ 36 bilhões empenhados por meio do mecanismo em 2020 e 2021.

Acre…Segue O Globo

(…)O mecanismo também serviu para agraciar parlamentares de partidos que não apoiam formalmente Bolsonaro, como o PSDB. A deputada Mara Rocha (PSDB-AC) foi a mais contemplada na legenda. Ela apadrinhou seis emendas, em um total de R$ 13 milhões empenhados a Acrelândia, Epitaciolândia, Capixaba e Manuel Urbano, cidades onde mantém redutos eleitorais junto com o irmão, o vice-governador do Acre, Major Rocha. Em novembro, a deputada causou um reboliço nas prévias do PSDB ao se declarar bolsonarista. (…) Procurada, ela não se manifestou.

(…)

Matéria na íntegra em O Globo (para assinantes)