Crônica de Dandão: Próximos confrontos

#cronica

cronica

Próximos confrontos

 

Francisco Dandão – Os times do Acre vivem situações opostas na disputa da Série D. Enquanto o Humaitá, legítimo campeão estadual de 2022, segura a lanterna do Grupo 1, com três derrotas em três partidas disputadas, o Rio Branco vai se mantendo entre os três primeiros, com duas vitórias e um empate.

Neste fim de semana, o Rio Branco vai à Boa Vista, a bela capital do estado de Roraima, tentando manter a sua performance. O adversário é o São Raimundo, que nos últimos anos tem crescido bastante no cenário do futebol regional. O time roraimense ostenta uma vitória em três jogos disputados.

Eu imagino que vai ser um jogo duríssimo, levando-se em conta que ultimamente os times de Roraima tem batido de frente com as equipes acreanas. Bem diferente da época do amadorismo, quando, de modo geral, os times do Acre entravam sempre como favoritos contra a turma de lá.

Mas é claro que aqueles eram outros tempos e o futebol acreano, principalmente no torneio interestadual denominado Copão da Amazônia, exibia super craques como Dadão, Carlinhos Bonamigo, Mauro, Julião, Mário Vieira, Xêpa, Pitola, Paulo Roberto, Mário Sales, Chicão etc.

O Chicão, aliás, zagueiro que se mudou de Rondônia para o Acre no final da década de 1970, ressalte-se, curiosamente é hoje o técnico interino do Rio Branco, “tapando o buraco” deixado com a dispensa do treinador Marcelo Brás. É interino, mas tem feito o time jogar direitinho, sim senhor.

De acordo com o que eu vi aqui na tabela, o Rio Branco vai jogar duas seguidas em Boa Vista: neste sábado contra o São Raimundo e na outra semana contra o Náutico. Caso se dê bem, pode voltar da antiga terra da cassiterita até em alguma posição superior ao atual terceiro lugar do grupo.

Enquanto isso, agora mudando o foco para o Humaitá, provavelmente, por conta da troca do técnico anterior pelo comprovadamente competente Álvaro Miguéis, o time comece a sua virada de chave neste domingo. Inclusive porque o adversário, o Náutico, também está muito mal na fita.

O Humaitá, a propósito, considerando-se que vai jogar duas vezes seguidas em casa (neste domingo contra o Náutico e no outro contra o São Raimundo-RR), terá a sua chance de ouro para sair da situação incômoda em que se encontra. Uma lanterna, no futebol, só ilumina bem em mãos alheias.

Enfim, que se rolem os dados e que a sorte possa beijar as camisas dos times acreanos nesta rodada. Se os deuses quiserem será assim. Mas nada é garantido. Afinal de contas, os adversários também têm os seus deuses. E nenhum pode mais do que os outros. Tudo pode ser levado pelo vento!

Francisco Dandão – poeta, escritor, jornalista, letrista, contador de histórias e tricolor

oestadoacre

print