Poker do Norte em pé de igualdade com outras regiões do país

poker #

poker
 “Seleção de Acre/Rondônia levantando título de campeão do CBPE de 2015”

Um dos esportes mais democráticos que existe, o poker vem crescendo muito nas últimas décadas. Ele pode ser praticado por homens e mulheres na mesma mesa e o advento da internet fez com que fosse possível se tornar um profissional dessa modalidade em qualquer lugar do planeta.

Nos últimos anos, mesmo sem estar perto do eixo Rio-São Paulo, o poker do Norte tem competido em pé de igualdade com os principais Estados do Brasil no âmbito dessa modalidade esportiva.

Há alguns motivos relevantes que tornam o poker do Norte competitivo no cenário brasileiro e um dos principais é a gama de excelentes competidores que honram o nome da região Brasil afora junto com a ótima participação das federações em torneios nacionais.

Caio Hey, Thiago Magalhães e Ângelo Neto são os maiores representantes da região

Quando o assunto é poker do Norte, não existe jogador mais representativo do que Caio Hey. Nascido em Rondônia, o jogador é muito respeitado no circuito brasileiro e tem uma história grande no poker nacional.

De acordo com o site Hendon Mob, que é especializado em computar a participação dos competidores em torneios profissionais, Hey atua em competições relevantes no país desde o início da década.

Muito experiente no Campeonato Brasileiro de Poker, também conhecido como BSOP e tido como maior circuito de poker da América Latina, Hey já conquistou sete eventos diferentes e no ano passado bateu na trave no ranking geral, quando ficou no pódio e só perdeu para o campeão Saulo Sabioni.

As sete conquistas em eventos individuais de Hey o tornam um dos maiores vencedores da história desse circuito, que foi criado em 2006 para ser a referência no país.

Além de ser um dos melhores no circuito nacional, Hey também faz bonito nas mesas dos Estados Unidos, o principal país do mundo quando o assunto é poker. Nesse ano, por exemplo, o rondoniano foi um dos brasileiros que competiu pela World Series of Poker (WSOP).

foto
 “Caio Hey (foto) é um dos competidores mais sólidos do país”

Conhecida como a “Copa do Mundo do Poker”, a WSOP recebe milhares de competidores todos os anos em Las Vegas e Hey geralmente marca presença nos eventos. Em 2019, o rondoniano conseguiu cravar algumas boas atuações para enriquecer ainda mais o seu bom currículo. Mais cedo no ano, Hey disputou eventos de poker nas Bahamas, na Argentina e no Canadá.

Uma das maiores conquistas da carreira de Hey veio no circuito internacional. Em 2014, durante uma etapa disputada em São Paulo válida pelo Latin Poker American Tour, ele conseguiu ficar com a primeira colocação do evento principal e embolsar um prêmio de R$ 800 mil.

Apesar de todo sucesso, Hey ainda não cravou um título de Main Event (etapa principal) de alguma etapa do BSOP, algo que seus conterrâneos Tiago Magalhães e Ângelo Neto já conseguiram.

Em 2017, Ângelo conseguiu o incrível feito de vencer uma etapa principal do BSOP. Na ocasião, o evento foi disputado em julho, em São Paulo, e o competidor do Amazonas superou mais de 1.500 competidores para conquistar o principal título da carreira.

A conquista deu ao jogador um novo patamar no poker nacional. Meses após o título, Ângelo foi o único amazonense a competir no “Torneio dos Campeões”, etapa comemorativa do BSOP que reuniu os campeões de todas as etapas do circuito.

“O Torneio teve várias pessoas nas quais eu me espelhei, muitas mesmo, umas do passado, que estão aqui, outras que a gente acompanha no presente, e estar aqui perto dessas pessoas é uma honra”, afirmou o jogador ao site Superpoker.

Quem fecha a trinca de grandes competidores é Tiago Magalhães. Assim como Hey, ele é de Rondônia e vem construindo uma bela carreira no poker. No ano passado, Tiago conquistou o seu maior triunfo com o título do Main Event do BSOP.

Tiago seguiu os passos de Ângelo e venceu a competição em São Paulo, numa etapa que registrou mais de mil inscritos. A vitória deu ao jogador o cobiçado Platinum Pass, que garantiu uma vaga no PokerStars Caribbean Adventure, que foi disputado nas Bahamas no início deste ano.

“Sensacional ter vencido o Main Event. Estou muito feliz, conseguir ficar bem focado. Esqueci todas as coisas ao meu redor e foi fundamental. Dei o meu melhor diante de competidores fantásticos. Nunca tinha conquistado um evento tão grande assim”, afirmou Tiago após o título do BSOP.

História do poker nortista esbarra nos títulos do CBPE

O Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes, também conhecido pela sigla CBPE, é realizado anualmente desde 2013 e promove a competição sadia entre os principais Estados que contam com poker em alto nível no país.

As seleções do Norte marcam presença desde a sua criação e fizeram bonito em algumas edições. Em 2014, por exemplo, Amazonas cravou a competição com o histórico título logo na segunda edição.

Na ocasião, a seleção formada por Victor Andreoletti, Jean “Double” Picanço, Gabrielle Costa, Ângelo Neto, Alessandro Rodrigues e Arlindo Neto dominou a competição e derrotou Distrito Federal na final.

Um ano mais tarde, a junção das federações Acre e Rondônia rendeu grandes frutos com o segundo título seguido do Norte no CBPE. O selecionado composto por Kennedy Coutinho, Marciano Vannucchi, Fernanda Filiputti, Tiago Magalhães, Caio Hey, Maicen Teixeira e Valder Bessa entrou para a história do poker brasileiro.

No time, Bessa era o representante do Acre e teve uma participação decisiva para que as federações desse Estado e de Rondônia conquistassem o feito.

Além da conquista de Acre/Rondônia, o Amazonas ficou com a quarta colocação e complementou a excelente atuação da região no torneio de seleções estaduais mais importante do país.

Tradição do poker nortista deve continuar por muito tempo

Vencer no poker requer estratégia, estudo e muita habilidade e os principais competidores nortistas já provaram que dominam as técnicas desse esporte da mente há tempos. Além disso, não há sinais de queda de desempenho desses atletas (os últimos resultados no CBPE comprovam isso) e o leque de jogadores acima da média vai além de Caio Hey, Tiago Magalhães e Ângelo Neto.

Com todos esses fatos, é justo afirmar que o poker do Norte está muito bem representado e o cenário só deve melhorar no futuro.