Dois transplantes de órgãos (rins) são realizados em Rio Branco

A central estadual de transplantes do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco realizou, na última semana, dois transplantes de rins de doador vivo relacionado – quando a doação ocorre entre familiares.

Houve também a captação de córneas de um doador morto, que serão transplantadas ainda nesta semana. A identidade dos doadores e receptores não foi divulgada, a pedido dos familiares.

Dos dois pacientes que receberam os rins, um é de Rondônia e o outro do Acre. Segundo a enfermeira da central de transplantes renal Elizabete Ruch, no caso do transplante com paciente de Rondônia, foi uma irmã que doou para o irmão. “Já a paciente acreana recebeu o rim do sobrinho.”

Ruch esclareceu que os pacientes de Rondônia estão tendo que vir fazer a cirurgia no Acre, pois o serviço não esta funcionando no estado vizinho. “Portanto, nós estamos atendendo a nossa demanda e de Rondônia também”, complementou.

Para se tornar um doador vivo, é necessário respeitar alguns procedimentos legais. Por exemplo, o doador pode ser parente do receptor até segundo grau. Se o doador e o receptor não forem parentes, será necessário passar por um processo que comprove que não há venda de órgãos, conduta ilegal no Brasil.

Segundo a coordenadora da central de transplantes, Regiane Ferrari, a doação é um verdadeiro ato de amor e dedicação ao próximo. “Para ser um doador basta o cidadão informar aos seus familiares que deseja doar os órgãos. A população precisa entender que, quando retiramos os órgãos e tecidos do doador, mantemos o corpo em boas condições para que a família enterre seu ente querido com dignidade”, finalizou.