Acre produz talentos em programação que são destaque em Brasília

talentos
Foto: Marcela Chaar/secom/gov/AC

Saiu na Ag Of Gov AC

Os analistas de sistema Jhonny Willyans e Israel Braga, servidores da Diretoria de Modernização Administrativa do Acre (DMA), foram os vencedores da “Hackathon”, uma competição de programadores realizada em Brasília, entre os dias 21 a 25 de maio. O resultado saiu no dia 11 de junho, e o projeto dos acreanos foi um dos classificados.

A competição, que significa maratona de programação, reuniu programadores, designers de interface e de web, e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software. A equipe, na qual Jhonny e Israel fazem parte, é composta de cinco integrantes: uma estudante de Letras de Brasília, uma estudante de sistema de informação e um Web Designer de São Paulo.

A equipe vencedora trabalhou no projeto “Cebas Online” – Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social Online -, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Para criar o sistema, eles trabalharam durante a Maratona de Execução, que ocorreu durante os dias 24 e 25 de maio, na Universidade de Brasília.

(…)

Em tempo:

E o Acre não produz nada mesmo.

Produção de conhecimento não vale nada, não é Oposição?



Saiu na Ag Of Gov AC

2 milhões em abacaxi
abacaxi


Em agenda por Cruzeiro do Sul nesta segunda-feira, 23, o governador Tião Viana visitou no começo desta tarde o produtor Pedro Holanda, que em sua propriedade na beira da BR-364, próximo ao Rio Croa, cultiva hoje a impressionante marca de 1 milhão de pés de abacaxi. Com toda sua família voltada para a produção rural, os negócios podem gerar mais de R$ 2 milhões.

Tião Viana não escondeu o orgulho perante a família Holanda, que já investiu mais de R$ 300 mil no plantio de abacaxi e outras culturas nos últimos oito anos. “Eles são um grande exemplo de que basta querer, que com os incentivos certos irão pra frente. Têm todo nosso apoio para conseguir ir além nessa produção”.

O produtor Pedro Holanda ainda confirma: “Sem apoio técnico do governo a gente não teria conseguido nada. Tive a ideia de plantar os abacaxis há oito anos. E agora estamos com tudo isso”. Só para Rio Branco a família está enviando 17 mil unidades da fruta por mês.

(…)

Em tempo: realmente esse Acre é um estado ‘preguiçoso’, pois não produz nem abacaxi para abastecer a capital.



A Flor é pé quente!

terminal urbano


Perpétua
assistiu à vitória do Brasil sobre Camarões no Terminal Urbano.

No meio do povo.

E, claro, até os mais exaltados com a bebida queriam falar com ela.



Sortudo!
tião brasil


Tião Viana
diz que faturou em dois bolões no jogo Brasil x Camarões.

Um na capital e outro em Cruzeiro.

Valor da aposta:  5 mangos.

Dependendo da quantidade de cotistas os prêmios deram para comprar pelo menos um engradado de geladas.



Em Brasília
jorgebrasil

Os dois ex-governadores do Acre (Jorge e Binho) engrossaram a torcida no Estádio Nacional Mané Garrincha.

Agora é o Chile!



Os oportunistas de 2014

faustão

Por Altamiro Borges
Blog do Miro

O apresentador Faustão, da TV Globo, disputará com o ex-jogador Ronaldo, que também está na Globo, o título de “fenômeno” do oportunismo de 2014. Neste domingo (22), durante o seu programa na emissora, ele mudou radicalmente de opinião e elogiou a Copa no Brasil. Na maior caradura, ele disse que “surpreendentemente” o evento está dando certo e que os problemas ocorridos até agora são de responsabilidade da Fifa. “O que está dando problema é tudo culpa da Fifa. E eles não assumem e colocam a culpa no governo brasileiro. Veja agora o problema da alimentação em Recife, isso é problema da Fifa. A Fifa que assuma as suas responsabilidades”, afirmou no “Domingão do Faustão”.

A crítica à Fifa é justíssima, mas não deve ter agradado a famiglia Marinho – que sempre manteve sinistras ligações com a máfia que se perpetua no comando desta entidade mundial do futebol. Estas relações são antigas, desde a época do corrupto João Havelange. Não é para menos que a TV Globo evita repercutir as recentes denúncias da mídia internacional sobre o esquema de corrupção montado pela Fifa para sediar a Copa no Catar em 2022 ou sobre os aumentos secretos dos salários de seus dirigentes. A Fifa fatura cerca de 1,5 bilhão de dólares com este evento; já a famiglia Marinho mantém-se no topo da lista de bilionários da Forbes, entre outros motivos, por ter a exclusividade na transmissão dos jogos.

Faustão acertou na crítica à Fifa, mas deixou de fazer a sua autocrítica. Até a semana passada, o apresentador global, que recebe uma fortuna da emissora e dos anunciantes, era um dos mais hidrófobos nos ataques à organização da Copa no Brasil. Ele animou muita gente que padece do complexo de vira-lata contra o Brasil e que prega à visão neoliberal de negação do Estado. No “Domingão” que antecedeu a abertura dos jogos, ele esbravejou: “Esse é o país que quer fazer Copa do Mundo com 17 [12] cidades, mas que não faz nem com cinco… Já que vai começar dentro dessa bagunça toda, desses estádios caros, vamos tentar fazer o melhor possível, até porque a minha avó já dizia ‘roupa suja se lava em casa’”.

Na sequência, ele explicitou que seu programa virou um palanque eleitoral da oposição. “Não dá para mostrar para o mundo inteiro que somos o país da corrupção e da incompetência. Muita gente já sabe… O Brasil dentro de campo é uma coisa. O Brasil fora é outro. O povo já percebeu. O Brasil precisa ganhar a Copa da educação, da saúde, contra o preconceito. A nossa Copa do Mundo é em outubro, época das eleições”. Ainda na semana passada, ao entrevistar a cantora Cláudia Leite, quase falou um palavrão na emissora, ao esculhambar a solenidade de abertura do torneio no estádio do Itaquerão. Para ele, a “festa merreca” foi uma “m… mercadoria”.

Agora, “supreendentemente”, ele muda de opinião e elogia a organização da Copa. O que houve? Sem dúvida, ele foi contagiado por Ronaldo, o “fenômeno” do oportunismo. A TV Globo trabalha com pesquisas diárias para conhecer o humor de seus telespectadores. Não há ainda nada de oficial, mas nos bastidores circula a informação de que o povo não se deixou abater pelo pessimismo da mídia tucana e está entusiasmado com a Copa. A coluna Painel, da Folha, chegou a noticiar neste final de semana que o apoio popular é de mais de 60% da sociedade. Esperto, Faustão resolveu recuar nas suas bravatas eleitoreiras; ele só não fez autocrítica. Por falta de oportunidade não faltam oportunistas neste mundo!



Vídeo: ‘Imprensa espírito de porco’

 

Clique aqui para ver o que disse o escritor e jornalista Ruy Castro, no SporTV sobre a imprensa brasileira e  a Copa no Brasil. 


Por hoje, FIM