Sessão da Câmara em Sena: veto, garis, casas, Flaviano, Tião Viana, ausências e o retorno das férias de Adalberto Brito (vídeos)

Sessão da Câmara em Sena: veto, garis, casas, Flaviano, Tião Viana, ausências e o retorno das férias de Adalberto Brito (vídeos)

 

Autor: J R Braña B.

 

Bem.

Parece que a base do prefeito Mano Rufino resolveu antecipar as folgas da Semana Santa justamente no dia em que se votaria um veto do Executivo.

O que houve para tanta desarticulação?

Resultado: um veto do Executivo sobre benefícios a servidores (na verdade uma coisa meio confusa pelo deu para ver no debate na Câmara) foi derrubado pela oposição que estava em maioria dentro do plenário.

4 a 3 a votação.

Até aí, tudo bem.

Faz parte do jogo.

A sessão começou morninha.

Daquelas chatas, de dar sono.

Como sempre, o rei dos mandatos na Aleac, Raimundo Sales, abriu alas.

E começou a contar que o deputado Flaviano está indicando uma emenda de 300 e poucos mil para uma quadra na cidade.

Aliás, muito pouco para Sena para quem tem um século de mandato.

Raimundo não se conteve e começou a dizer que Flaviano é campeão de moradias no Acre.

Que fez vários conjuntos em Rio Branco e citou por último o Manoel Julião, que nos tempos atuais, jamais seria aprovado a sua execução tal a sua precária engenharia.

Basta passar por lá e ver as condições em que foram construídos aqueles prédios.

O Manoel Julião não é exemplo de conjunto habitacional digno nem aqui nem na China de mais de 1 bilhão de pessoas.

De volta das férias, Adalberto Brito defendeu o governador Tião Viana respondendo ao vereador Sales:

(segue texto após vídeo)


A sessão continuou morna.

E sem sal.

Teve até frases mal construídas do vereador Alípio, que disse em referência às condições das ruas onde estuda sua filha:

‘Seria engraçado se não fosse cômico’.

Na verdade, ‘engraçado’ e ‘cômico’ querem dizer a mesma coisa.

Talvez o vereador quisesse dizer ‘seria engraçado se não fosse desesperador’ a situação das ruas.

Mas valeu a intenção.

Entendeu-se o que ele quis dizer.

A parte boa do Alípio foi a defesa de melhores condições de trabalho para os garis que, realmente, precisam de roupas e equipamentos adequados para a sua atividade de alto risco de contaminação.

E isso a prefeitura pode resolver sem grandes problemas.

A secretaria responsável pode correr atrás sem ser preciso tudo o prefeito ficar sabendo.

Ou dizendo o que o secretário tem que fazer.

Aí…

Apareceu o italiano Mastroiane para esquentar a sessão.

E citou o vice-prefeito Hermano, que foi esquecido e não chamado para a mesa (esse negócio de mesa é uma grande bobagem de políticos) na solenidade de reinauguração do Núcleo da Ufac no município.

Nessa o Mastró errou.

Vice é vice, Mastró, e tem que ficar quieto.

Tem que ser invisível.

O bom vice, ensina a história política, é aquele que fica na sua.

Não quer aparecer mais que o titular do cargo.

Mesmo que tenha feito alguma coisa.

O vice não tem voto.

Entra de carona, por acordo entre as forças políticas.

Vice não é para arranjar problemas de nenhuma ordem.

É para ajudar o titular a não ter problemas.

Quando a Dilma e o Obama falam não precisa o vice deles falarem também.

E ponto parágrafo.

Já Jossandro, parece mesmo que quer ser candidato a prefeito.

Está amplo demais.

E tem sido cortês com os adversários.

É o primeiro sintoma de quem pensa lá frente.

E não está errado.

Foi o relator que ajudou a derrubar o veto do prefeito na noite desta terça.

Na sessão de hoje também ficou claro a estratégia do ‘grupo’ (é assim que definem) do deputado Nelson Sales.

Raimundo, Alípio, Mastroiane (falta o Alex) se revesam na tribuna para dar visibilidade às ações do parlamentar estadual.

É a história que já falei aqui na semana passada e no SENA XXI, do espaço vazio que Nelson está preenchendo na política de Sena.

‘Os vereadores do Nelson’ anunciaram que ele  instalou em Rio Branco a Casa do Chico (referência a Chico Sales in memorian, pai do deputado), um local de assistência para madureirenses que precisam vir à capital em busca de tratamento médico.

Nelson Sales tá bem na fita.

Aliás, a família Sales está se reorganizando e começando a tomar de conta da política de Sena Madureira.

Bem, como disse lá no início, Adalberto Brito voltou da praia, das vacaciones (férias)…

E deixou para o último momento (ele sempre faz isso), na ‘explicação pessoal’, para dar uma estocada no Mastroiane.

Que, claro, hoje é o maior e mais duro opositor ao prefeito Mano.

Veja o que Adalberto disse sobre os ataques do seu colega ao prefeito.

(segue texto após vídeo)


Ah, e para encerrar:

Os vereadores de Sena são hoje os vereadores mais conhecidos na capital de todos os outros municípios do Acre.

Principalmente os mais atuantes.

Graças a este oestadoacre.com que prioriza as notícias da cidade mais importante e interessante do Acre, que é o principado de Sena Madureira.

Claro.


J R Braña B.