Secretário da ONU: ‘Acre serve de exemplo para o Brasil e o mundo’

AgGov

“Estamos numa nova etapa de transformação, na qual o desafio da ONU é o desenvolvimento sustentável, que aponta para uma etapa de transformação dos pilares econômico, social e ambiental, temas de interesse global.”

O discurso inicial do secretário-geral adjunto da Organização das Nações Unidas (ONU), Carlos Lopes, abriu a palestra sobre “A Nova Agenda para o Desenvolvimento Sustentável”, ministrada por ele na noite desta quarta-feira, 21, no auditório da Federação das Indústrias do Acre (Fieac).

O governador Tião Viana, a secretária de Estado de Comunicação, Andréa Zilio, e o presidente da Fieac, Adriano Ribeiro, compuseram o dispositivo de apresentação e debate do tema. O diálogo sobre conservação, preservação, meio ambiente, desenvolvimento e sustentabilidade foi aberto ao público e reuniu diversos representantes de academia, imprensa, movimentos sociais, órgãos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, Ministério Público e instituições financeiras.

“Queremos aqui, com essa fonte de sabedoria, entender essas ocorrências do Estado Islâmico, a politica de desenvolvimento, industrialização e diversificação de economia, e aproveitar da melhor forma a troca de experiência e conhecimento, um bom caminho para quem quer o melhor para as comunidades”, defendeu Tião Viana.

Durante a palestra, Carlos Lopes destacou os objetivos e debates promovidos durante a Rio +20, e o surgimento da Declaração do Milênio – documento histórico para o novo século que engloba oito objetivos -, seguindo um debate sobre a paridade da economia, sociedade e meio ambiente.

Sobre o desenvolvimento com responsabilidade e respeito ao meio ambiente, o secretário destacou as experiências que estão sendo feitas no Acre. “São experiências mais humanizadas, mais verdes, com uma economia de frente, que servem de exemplo não só para o Brasil, mas para o mundo”, declarou.

onu


Desenvolvimento, transformação e oportunidade

Para o secretário, o Acre está trabalhando as cadeias de valores, transformando-as em oportunidades. “É preciso usar a floresta de forma criativa, por meio da piscicultura, da cadeia de valor da produção de carne de vários tipos, como suínos, aves e o próprio gado, com a introdução de tecnologias mais avançadas, gerando menos impacto florestal e maior produtividade animal”, disse Lopes, assegurando que isso faz com que as pessoas desmatem menos, já que há outras fontes alternativas de renda.

O presidente da Fieac agradeceu a presença do secretário da ONU, que cumpriu agenda no estado a convite do governador Tião Viana.

“Somos muito gratos de poder discutir preservação, conservação, meio ambiente e sustentabilidade e conhecer suas colocações de maneira tão segura”, agradeceu Ribeiro.

O encontro foi finalizado com uma rodada de perguntas dos participantes a respeito do tema abordado. Pela terceira vez no Acre, o secretário-geral adjunto da ONU parabenizou o governo pela forma criativa com a qual consegue desenvolver o Acre – um estado que mantém 87% de florestas – de maneira sustentável.