Alan Rick: como distrair ingênuos com a história do Menos Médicos

# menos médicos alan

alan
Alan rick insiste em repetir uma história que só ele e bobos acreditam (foto montagem no ac24horas)

Menos Médicos

O sentimento de ódio ideológico (dito de um jeito manso e gentil) do deputado Alan Rick em relação a Cuba é maior que a sua vontade de servir aos que precisam.

Alan Rick, deputado federal do Acre, não fala por si mesmo apenas…ele expressa um pensamento caduco, reacionário, preconceituoso, evidente, da chamada Bancada BBB (Bíblia, Boi e Bala) e dos neopetencostais, com forte poder no Parlamento, que pretendem dominar o Brasil com mão de ferro com seus dogmas e o medo.

Só assim, com esses discursos dogmáticos e do medo em direção a uma população desinformada e assustada – esse espectro político consegue permanecer no parlamento, dando as cartas….sua sobrevivência no poder depende do atraso mental de parte da população…é um fenômeno brasileiro e no Continente.

Cuba e a esquerda, para Alan Rick, embora ele não diga, significa luta em favor da solidariedade, libertação, consciência, soberania, rebeldia, pensar com a própria cabeça…tudo que esse espectro político que Alan defende não quer…

Essa história de ‘financiamento de Ditadura’ é para divertir e tirar a atenção dos incautos para problemas reais que o Brasil atravessa e atravessará, como, por exemplo, a falta de atendimento médico em municípios como os do Acre (comunidades isoladas, etc) que o ‘novo governo’ do parlamentar do DEM já proporciona…

Entendeu?

Em tempo: no Brasil há o Fies (criado Lula/Dilma), que o aluno paga quando se forma…Em Cuba, o Fies existe há meio século… o aluno estuda de graça e quando se forma em médico, por exemplo, devolve ao Estado parte dos seus salários…em serviços humanitários temporários como o Mais Médicos…um ciclo de solidariedade que vai se renovando em favor do bem-estar social cubano….é uma filosofia de vida em sociedade difícil de algumas pessoas entenderem.

J R Braña B.


Gostou desse conteúdo? Ajude a manter oestadoacre e o pensamento livre na imprensa do Acreclique aqui