Ainda bem que o Brasil não é mais só o país do futebol (Viva o Brasil!)

brasil
O povo ama o seu país…é isso que importa (foto: colunadobraña)

Fiz um esforço danado para escrever essas mal traçadas linhas sem ver, ler ou ouvir nenhuma opinião sobre a humilhação futebolística de terça, 8 de julho.

Parei de assistir ao jogo (vi  todos pelo computador) quando a Alemanha fez 1 a 0.

Peguei o carro e fui à casa da minha mãe, que assistia na maior tranquilidade do mundo, no seu quarto, uma missa que passava no canal Rede Vida.

É católica, claro.

Disse a ela que o Brasil já perdia…

-Já? – respondeu e voltou para o seu programa.

Fui à sala onde meu filho via o jogo.

-Filho,  não vou ver mais esse jogo… Do que jeito que vai vamos levar uma surra.

-É – respondeu monossilábico.

Vi uns dois minutos e caí fora.

Não sem antes ouvir o gavião avisar do segundo gol.

Fui dar uma volta na cidade.

Liguei na CBN.

Não precisava ver.

Tudo parecia tão nítido.

Postei pelo Twitter (@jrbrana) algumas fotos das ruas desertas de Rio Branco.

Apanhei minha companheira Sophia na sua casa.

Ela tava arrasada.

Combinamos que não falaríamos  de futebol.

De vez em quando o assunto voltava.

Mas logo mudávamos de assunto.

Fomos passear…

As ruas continuavam fantasmagóricas.

O trânsito, uma maravilha.

No posto onde parei para por gasolina vimos a decepção no rosto das pessoas.

Mudamos para a FM Senado.

Que, graças, só tocava música.

Foi um resto de tarde com sofrimento reduzido.

Porque entendo que o Brasil hoje não é mais o país só do futebol.

Ficamos velhos e ultrapassados nesse esporte (nossos técnicos e dirigentes não estudam..agem da mesma forma como em décadas passadas).

Não basta mais só o talento.

É preciso ciência, tática, planejamento de jogo.

E talentos de verdade.

Nos poucos minutos que vi do jogo a Alemanha nos matou.

Encurtou o campo e anulou os lançamentos em profundidade.

Não vi o restante.

Não quis ver.

Não consegui mais (depois, sei lá quando…daqui um ano, dois…vou ver esse jogo…ontem, não)

O Brasil hoje é o país que melhorou.

É o país do pleno emprego.

É o país da classe média, que aumentou em milhões esse segmento social depois do governo Lula e da Dilma.

É o país que salvou a Petrobras das mãos dos tucanos financistas e entreguistas.

É o país que ressuscitou a indústria naval e já, já terá o seu próprio submarino, inclusive o nuclear.

É o país que retomou a autoestima.

É o país que tirou e continua tirando milhões e milhões da miséria.

É o país do maior programa de inclusão do mundo, o Bolsa Família (reconhecido pela ONU).

É o país da sétima economia do planeta e daqui a pouco será a quinta.

É o país que descobriu o Pré-sal e está destinando 75% dos royalties para a Educação e Saúde.

É o país que aprovou 10% do PIB para a Educação.

É país que mudou e continua  mudando a vida do seu povo para melhor.

É o país da Amazônia.

É o país que o Acre escolheu.

Claro, ainda somos um país com demandas sociais a serem superadas…

Mas estamos no caminho certo.

Futebol?

Fizemos a maior Copa de todos os tempos (A Copa das Copas, como pregou nossa Presidenta), mas o nosso time não entendeu o recado do país.

Não se preparou para ousar.

Que pena!

Hoje temos outras prioridades além do futebol.

Ontem ficamos tristes.

Mas seguiremos em frente sendo um povo alegre e feliz.

Porque é isso que o Brasil é.

O país da alegria infinita.



A mensagem da Presidenta pelo Twitter diz muito

 

Assim como todos os brasileiros, estou muito, muito triste com a derrota.

Sinto imensamente por todos nós, torcedores, e pelos nossos  jogadores.

Mas, não vamos nos deixar alquebrar.

Brasil, “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima’


Por hoje, FIM
Amanhã será outro dia