Não tem mais nem graça: Acre faz transplante quase todo mês

 

Você não sente saudade do tempo da Oposição no governo e a sua saúde?

Não?

Ninguém sente.

Há alguns anos louco era quem ousava falar em transplantes no Estado do Acre.

Hoje virou rotina.

Nem graça tem mais, né Oposição?

Claro, graça tem – e muita – para o paciente receptor.



Da Ag Gov AC
Diego Tenutti

Pela primeira vez três transplantes são realizados ao mesmo tempo em Rio Branco

Um feito inédito na história da saúde pública do Acre. Pela primeira vez foram realizados os transplantes de um fígado e dois rins, simultaneamente no Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco, com doador do próprio estado. Os órgãos de um único doador salvaram três vidas. As cirurgias foram concluídas por volta das 12 horas desta sexta-feira, 14, e os três pacientes que receberam os órgãos agora iniciam a recuperação pós-cirúrgica.

Todo o procedimento cirúrgico, entre retirada dos órgãos do doador e transplante nos pacientes receptores, durou 13 horas e foi comandado pelos médicos especialistas Isamu Lima, Tércio Genzini, Nilton Ghiotti e Thadeu Moura.

Esses últimos transplantes somente foram possíveis porque uma família decidiu pela doação de órgãos de um parente que morreu em um acidente de trânsito. A doação foi feita por meio do trabalho da equipe da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos (CNCDO/Acre) e vai beneficiar cinco pessoas – três que receberam rins e fígado e outras duas que receberão as córneas em até sete dias.

Para o governador Tião Viana, o fato representa uma grande conquista para a saúde do Acre. “Temos lutado muito para avançar cada vez mais na saúde pública acreana e temos tido conquistas imensas. O doutor Tércio tem sido um grande parceiro nesses desafios”, comenta.

O que ocorreu hoje, consolida o desenvolvimento dos transplantes no estado. Pela primeira vez, todos os órgãos captados ficaram no próprio estado e beneficiaram a população acreana. Espero com isso, uma maior sensibilização das pessoas para doarem órgãos

Tércio Genzini

Neste ano, o Acre já realizou sete transplantes de rim e quatro de fígado. Outras 10 pessoas estão aptas para receber transplante de fígado e 14 de rim, e aguardam na fila estadual por doações locais.

“Considerando que tivemos apenas cinco doações de múltiplos órgãos neste ano, vale ressaltar a importância de deixar claro aos familiares, o desejo de ser doador de órgãos, pois somente a família pode autorizar a doação”, ressalta a coordenadora da CNCDO/Acre, Regiane Ferrari.