Produção de etanol vai se consolidando na Álcool Verde

A Álcool Verde em seu terceiro ano de operação irá produzir 4 milhões de litros de álcool, um milhão de litros a mais que no ano anterior. O empreendimento localizado em Capixaba é fruto de uma parceria entre o governo do Estado, o Grupo Farias e empresários locais. No período de safra, entre julho e setembro, a empresa gera 300 empregos diretos e quase mil indiretos. No restante do ano são mantidos os funcionários que trabalham no campo e os que fazem a manutenção dos equipamentos e atuam na parte administrativa.

alcoolverdeA composição acionária da Álcool Verde tem a participação do governo do Acre, como acionista minoritário, e da Companhia Acreana de Participações, que tem como acionistas o Grupo Farias e empresários acreanos. A participação do governo segue a Lei Estadual 1.684, de 28 de setembro de 2005, que autoriza o poder executivo a participar de atividade econômica, mediante associação ao capital privado, ainda que de forma minoritária, com o aporte de recursos econômicos, bens móveis e imóveis, com vistas ao desenvolvimento do polo agroindustrial.

“O incremento da produção se deve aos investimentos da empresa para ampliar a área plantada. Além disso, estamos trabalhando no melhoramento do solo. A presença da Álcool Verde fomenta a economia da região, pelos salários e impostos injetados na economia, e também pela rede de fornecedores e prestadores de serviço que surgem no entorno do empreendimento”, destacou o gerente administrativo Mauro Bernard.

Uma das premissas para a implantação da Álcool Verde foi a meta de promover o desenvolvimento socioeconômico da região de forma ambientalmente sustentável. Para isso foram adotadas diretrizes tais como o emprego somente de terras já desmatadas e ocupadas com pastagens degradadas e também a não utilização do fogo como método despalhador da cana-de-açúcar para colheita.

Atualmente 90% da cana-de-açúcar é colhida de forma mecanizada. De acordo com o supervisor de manutenção, Antônio de Oliveira Sobrinho, assim que a matéria-prima chega é encaminhada para a preparação e desfibramento. No processo de moagem o bagaço é separado e utilizado para produção de energia que abastece a indústria. O álcool anidro resultado da produção é enviado às distribuidoras de Rondônia.

Trabalhando na empresa desde 2010, o mecânico de turbinas Flávio Santos acredita no potencial do empreendimento. “Vamos seguir na luta para mostrar o potencial, e continuar crescendo e beneficiando as pessoas que moram no Estado através do emprego”, disse ele.

—————–

Oestadoacre.com

Com a produção de álcool se consolidando no Acre falta agora os preços do Etanol baixarem nas bombas dos postos de combustíveis.