MP diz que vai pedir condenação e ‘pena justa’ para ex-vereadora acusada de matar marido em Feijó

O julgamento da ex-vereadora Marleidy Dourado da Silva será realizado nesta quarta-feira, no Fórum Dr. Quirino Lucas de Moraes, em Feijó. Ela será submetida a júri popular pela morte do marido, o então presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), no município, José Nilson Thaumaturgo Ferreira. O crime aconteceu no dia 25 de abril de 2010, na BR-364, no trecho entre Feijó e Tarauacá.

mpfeijoO Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC) denunciou a ex-parlamentar por homicídio qualificado (motivo torpe) e por alterar a cena do crime. O inquérito policial que investigou o caso concluiu que o líder partidário foi atacado e morto no meio da estrada. Depois, foi simulado um acidente de moto, tendo os assassinos arrastado a vítima para uma pequena ribanceira e colocado o corpo de forma a parecer um acidente.

Segundo a denúncia, o assassinato foi arquitetado por Marleidy Dourado e o amante. No dia do crime, Marleidy e o marido viajam para Tarauacá numa velocidade inferior a 60km/hora, o que seria insuficiente para causar a morte do líder partidário com várias fraturas e escoriações da forma que a perícia revelou. “As lesões na vítima e o conjunto de provas mostraram que não foi um acidente de trânsito”, afirma o Promotor de Justiça Fernando Régis Cembranel.

Ao todo, 16 testemunhas estarão presentes no júri popular e serão ouvidas em plenário. O julgamento terá início a partir de 8 h da manhã, sem previsão para término. “O Ministério Público vai pedir a condenação e uma pena justa para a ex-vereadora”, garante o Promotor.