Narciso Mendes: Fake News

fakenews

oestadoacre publica artigo de Narciso Mendes nesta quinta-feira e passará, regularmente, a reproduzir textos do ex-deputado federal e empresário.

narciso mendes

Não por acaso, a mentira ganhou o pomposo apelido de Fake News, e ao invés dos tradicionais marqueteiros, estes também, especializados em mentiras,(…)

 

Por Narciso Mendes*

A verdade dói, a dúvida corrói, a mentira destrói.

A internet, infelizmente, permitiu que a mentira, que já costumava andar mais rápida que a verdade, não apenas passasse a circular com mais rapidez e se tornasse superlativamente mais abrangente. Pior ainda: quando industrializada e dirigida por organizações absolutamente irresponsáveis e sem ter o menor apreço nem pela dignidade humana.

Vejamos a seguir, uma dezena de expressões de autoria de notáveis personalidades que se imortalizaram pelos aconselhamentos que deixaram como legado para as futuras gerações;

01 – Ser-se livre não é fazermos aquilo que queremos, mas querer-se aquilo que se pode. Autor: Jean Paul Sartre.
02 – O homem é livre; mas ele encontra na lei os limites de sua própria liberdade. Autora: Simone de Beauvoir.
03 – Liberdade significa responsabilidade. É por isto que tanta gente tem medo dela. Autor: George Shaw.
04 – Tudo quanto aumenta a liberdade aumenta a responsabilidade. Autor: Victor Hugo.
05 – Liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem. Autor: Montesquieu.
06 – Aqueles que negam a liberdade aos outros não a merece para si mesmos. Autor: Abraham Lincoln.
07 – É livre quem deixa de ser escravo de si mesmo. Autor: Sêneca.
08 – A espécie de felicidade de que preciso não é a de fazer tudo o que quero, mas a de não fazer o que não quero. Autor: Rousseau.
09 – O valor de um homem é determinado, em primeira linha, pelo grau em que se liberta do seu próprio ego. Autor: Alberto Einstein
10 – A liberdade não é um fim, mas uma conseqüência. Autor: Leon Tolstoi.

Lamentavelmente, em nome da liberdade de expressão, particularmente, a atividade política, em grande parte, tornou-se alvo das súcias de libertinos, ou seja, dos criminosos que passaram a se apropriar do referido direito para cometer os mais variados crimes, notadamente, contra a honra e a imagem das pessoas, independente de serem ou não inocentes.

Não por acaso, a mentira ganhou o pomposo apelido de Fake News, e ao invés dos tradicionais marqueteiros, estes também, especializados em mentiras, porém menos agressivos, determinados candidatos passaram a se preocupar muito mais na montagem das equipes criadoras de mentiras, sobretudo, àquelas que sejam capazes de transformar seus adversários em verdadeiros criminosos.

Nada pior, posto que, as Fake News, de antemão, corrompem a própria consciência dos nossos próprios eleitores.


*Por Narciso Mendes (empresário e ex-deputado federal)