Caixeiro-viajante: embaixador de Israel ‘gostou’ do Acre

embaixador

Há três dias em Rio Branco

caixeiro viajante
Yossi Shelley

O Acre não precisa comprar armas de Israel!

Nem de ninguém…

O nosso estado precisa de educação, economia digital, emprego, dinheiro nos bolsos das famílias…

‘Vocação agrícola do Acre’, arriscou o vice-governador Rocha em encontro com o israelense na Fieac

Dá licença!

Isso (agricultura(?), pecuária) não nos levará a lugar nenhum nem seguro para todos…é apenas um complemento econômico secundário por motivos óbvios.

Poucos ganharão com isso…como já ganham hoje em dia….e que não se reveste em ganhos sociais abrangentes.

O governo local poderia potencializar a parceria com o estado de Israel (que o Brasil ajudou a construir com a sua antiga diplomacia, não essa do Itamarati atual do Ernesto ‘fundamentalista’ Salles) em setores do desenvolvimento humano, científico…tecnológico.

Esqueçam esse negócio de armas…

Mas é esse terrível tempo bolsonarista que teremos de transpor…

Transpô-lo-emos.

J R Braña B.