Nota do Sesc/AC

Nota do Sesc/AC

A diretoria do Serviço Social do Comércio (Sesc/AC) reuniu-se nesta semana para discutir questões acerca da obra que a entidade está construindo na cidade de Cruzeiro do Sul. Lamenta-se que a Federação das Associações Comerciais do Acre esteja defendendo o interesse de uma minoria e utilize a mídia para criticar um empreendimento que vai beneficiar todo o comércio local e a sociedade cruzeirense.

Cabem alguns esclarecimentos. O Sesc escolheu Cruzeiro do Sul essencialmente por três motivos:

1º – É a segunda maior cidade do Acre e ainda não possui a presença das ações do Sesc;

2º- A cidade desponta como grande polo turístico por força das belezas naturais;

3º- Por constituir-se um dos pontos cardeais do Brasil. O Departamento Nacional do Sesc definiu como meta estar presente em todos os pontos estratégicos do território brasileiro. Cruzeiro do Sul é o único ponto em que o Sesc não atuava. Após visita do Departamento Nacional à cidade, chegou-se à conclusão de que o porte do município, facilitado pela ligação rodoviária com o restante do Brasil, exigia que ali se instalasse não um mero espaço que registrasse a presença do Sesc, mas um centro de atividades que compreendesse educação, cultura, lazer, saúde e turismo.

O eixo turismo inclui a hospedagem, já que faz parte das ações do Sesc a prática do turismo social, em que se cria o intercâmbio entre  cidades brasileiras, por meio de excursões promovidas pela entidade. Hoje o Sesc/AC pratica apenas o turismo social emissivo, levando acrianos a excursionar por diversas cidades de outros estados. Com o Sesc-Cruzeiro do Sul, a instituição praticará também o turismo receptivo. Isso dará a Cruzeiro do Sul nova dinâmica, visto que as pessoas que visitarão a cidade poderão fazer compras no comércio local, freqüentar bares, restaurantes, boates e até hospedar-se nos hotéis do município.

O hotel do Sesc destina-se precipuamente a atender comerciários, que, se cadastrados no Sesc, terão preços especiais. Os demais hóspedes estarão sujeitos a pagar as mesmas diárias da rede hoteleira local que se enquadrem na mesma categoria. Também é intenção que a hospedaria do Sesc funcione como hotel-escola para os alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) dos segmentos de culinária, garçom, barman, camareiro, recepcionista, entre outros. Estes profissionais que ali serão formados destinam-se a atender o mercado local. Paralelo à construção do centro de atividades do Sesc-Cruzeiro do Sul, o Senac construirá uma escola de formação profissional, como suporte para a iniciativa do Sesc. Portanto, posicionar-se contra este empreendimento é insensatez e egoísmo desmedidos.

A diretoria do Sesc/AC tem a convicção de que o referido hotel não tem intento de competir com a rede hoteleira local. Contribuirá, sim, para o crescimento e a profissionalização do setor no município. A localização fora da cidade atrairá novos clientes, pessoas que irão fazer turismo em Cruzeiro do Sul.

Destaque-se que hospedagem faz parte das ações do Sesc. Existem hotéis do Sesc em todas as cidades do Nordeste e em muitas outras cidades do Brasil. Não há reclamação registrada do setor de que esta atividade tenha gerado concorrência desleal. Atualmente, em torno de cinco núcleos de hospedagem estão sendo construídos, dos quais um na cidade de Manacapuru (AM), com mais de 100 leitos.

Lamenta-se que outras entidades de classe, por não quererem entender os objetivos do Sesc, buscam denegrir a imagem desta entidade, atribuindo à Fecomércio/AC a responsabilidade pelo empreendimento. Esta é uma iniciativa do Sesc e está dentro de suas atribuições. À Fecomércio/AC, coube-lhe tão-somente usar da credibilidade para viabilizar os recursos financeiros necessários. A alegação de que a Fecomércio/AC esteja servindo-se de recursos pagos pelos empresários para gerar negócio que competirá com os próprios, não tem cabimento. Até porque a diretoria pondera que a contribuição dada pela rede hoteleira de Cruzeiro do Sul à Fecomércio, Sesc e Senac é exígua.

O presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, empresário Leandro Domingos, não se manifestou acerca do assunto por não ter recebido formalmente reclamação alguma. Somente leu em matérias de jornal e não entendeu por que só agora, quando a obra foi iniciada, que há esta manifestação, visto que o projeto vem sendo amplamente divulgado há mais de um ano, inclusive apresentado ao Departamento Nacional do Sesc em uma das recepções do Hotel Swamy, localizado em Cruzeiro do Sul, ocasião em que recebeu elogios de políticos, empresários e da população.

A satisfação da conveniência ou não deste projeto social deve ser dirigida aos comerciários, a quem o Sesc é voltado, e à sociedade em geral de Cruzeiro do Sul, que serão os principais beneficiários. Entende-se que a abertura definitiva da BR-364 atrairá novos investimentos e concorrência ao município, surgindo a necessidade de integração, profissionalização e organização por parte do empresariado local.

Rio Branco – Acre, 7 de agosto de 2012.
A Diretoria do Sesc/AC


Join the Conversation