Nicolau e Gonzaga: Redução no imposto da farinha

#aleacdivulgação

aleac

Em reunião com produtores no Juruá, Nicolau Júnior e Luiz Gonzaga garante redução de imposto sobre a farinha

Os produtores de farinha no Juruá, especificamente em Cruzeiro do Sul, tiveram uma boa noticia relativa as taxas de impostos sobre a circulação do produto. Em reunião com o presidente da Assembléia Legislativa na Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul na manhã do último sábado(12), o grupo recebeu a garantia da redução do IMCS sobre o transporte interno do produto, causando um impacto positivo de R$ 7,00 de redução sobre o preço de cada saca.

Ao lado do presidente da Câmara, vereador Franciney e de outros vereadores, Nicolau anunciou que a proposta recebeu sinal verde do executivo e que será levada para apreciação na Assembléia, onde ele se comprometeu de atuar pessoalmente para a aprovação da proposta.

“ A gente vinha ouvindo os produtores que relataram as perdas financeiras com o valor do imposto praticado. O governador autorizou a SEFAZ a realizar um estudo e esse projeto já foi para a Assembléia. O governo dando total isenção na entrada da farinha, com isso o produtor rural não vai pagar esse importo e vai mudar toda nossa cadeia de produção, disse Nicolau.

O governador Gladson Cameli também comentou sobre a proposta, destacando atuação do presidente Nicolau à frente da pauta.

“São idéias com essa, idealizada por vossa excelência e pelo deputado Luz Gonzaga que o legislativo cada vez mais mostra sua presença, o compromisso com o povo. Porque a partir do momento que o estado abre mão de arrecadar uma receita que não vai sofrer impacto, nós estamos aí cuidando de milhares de pessoas que precisam melhorar a sua arrecadação, gerar emprego e renda. Então essa iniciativa sua, quem ganha, ganham todos, e é juntos que a gente vai cada vez mais construir um estado forte”, falou o governador.

Maior produtor de farinha de mandioca da região norte, Cruzeiro do Sul é referência na exportação do produto que também circula em grande escala dentro do Estado. O incentivo fiscal que o projeto vai ofertar aos produtores e comerciantes que atuam diretamente na compra e venda, vai fortalecer ainda mais o setor, avalia Nicolau.

(aleac)